EUA testa transfusão de plasma do sangue para tratar COVID-19

O Houston Methodist Hospital transferiu plasma sanguíneo de um paciente recuperado para um estado grave

Neste sábado, 28, o Houston Methodist Hospital, nos Estados Unidos, foi o primeiro do país a transfundir plasma sanguíneo de um paciente recuperado da Covid-19 para um que está gravemente doente. O paciente que doou o plasma estava com boa condição de saúde por mais de duas semanas.

Após o aval da Food and Drug Administration – agência de assuntos de saúde, que regulou e definiu as diretrizes da pesquisa -, o hospital recrutou 250 pessoas recuperadas do coronavírus para servirem de doadores. 

A doação de plasma é semelhante à de sangue: os indivíduos são conectados a um dispositivo que extrai o plasma e retorna os glóbulos vermelhos para o corpo ao mesmo tempo. O processo leva ao todo, uma hora. 

China 

A China já testou o procedimento e teve resultados animadores. Cinco pacientes, com idades entre 36 e 65 anos, receberam a transfusão de plasma. Após o tratamento, quatro deles apresentaram normalização da temperatura corporal e redução dos problemas respiratórios. Três deles puderam ser retirados dos ventiladores semanas após o tratamento e tiveram alta.