Porto do Itaqui é o principal ponto de acesso para a chegada de suprimentos essenciais no estado

A prioridade é manter os supermercados abastecidos, caso aja necessidade de estocar suprimentos nas residências

Trabalhadores do Porto do Itaqui em campanha ao combate do Covid-19 (foto: reprodução)

Desde que chegou ao Brasil, o novo coronavírus tem causado impacto em todas as áreas. Umas das maiores preocupações dos brasileiros é ficar sem suprimentos necessários. No Maranhão, por exemplo, a ordem é manter os supermercados abastecidos, caso aja necessidade de estocar suprimentos em casa. O Porto do Itaqui tem elevada importância nesse papel, já que é por ele o principal canal para os produtos chegarem ao estado.

De acordo com Ted Lago, presidente do Itaqui, os portos cumprem importante função social e geram milhares de empregos, sendo essenciais ao abastecimento da população e para a economia do país. O Porto do Itaqui é patrimônio público e como tal,estará sempre a serviço do povo do Maranhão e do Brasil a fim de superarem a crise do Covid-19. A linha de contêineres é apenas um exemplo do papel essencial que é desempenhado.

Este é um período que requer atenção dobrada, situação que levou autoridades maranhenses a realizar intensivo reforço acerca do descarregamento de contêineres com alimentos diversos e produtos de higiene para o comércio local. O acompanhamento mais próximo dessas atividades ocorreu entre os dias 23 e 24 de março.

Antes mesmo da chegada dos produtos ao estado, Fabíolla Oliveira, gerente geral da Intrading Global ressaltou, a população maranhense pode fiar absolutamente tranquila porque os supermercados locais estão bem abastecidos e, pelo Porto do Itaqui, tem desembarcado semanalmente itens fundamentais à segurança alimentar de todos.

A iniciativa buscava acalmar os ânimos e garantir que não faltassem produtos básicos e de consumo diário à população. Estão juntos à frente da parceria o Governo do Estado, por meio da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP) e da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), dos sindicatos de trabalhadores portuários do Itaqui (conferentes, arrumadores e estivadores), praticagem, operadores, agentes de cargas, agência marítima e da Aliança Navegação e Logística.