Hidroxicloroquina como esperança e sua eficácia no combate ao Covid-19

Além da hidroxicloroquina, a cloroquina e remdesivir também são apontados como fortes aliados na cura do coronavírus

Hidroxicloroquina, cloroquina e remdesivir são apontados como fortes aliados na cura do coronavírus (foto: reprodução)

Diante de um cenário duvidoso em todas as áreas, o que resta é aguardar o mais breve por um “milagre” para garantir – pelo menos tentar – a vida humana da Terra.

Após o Covid19 causar a morte de milhares de pessoas por todo o mundo, a esperança da população pode estar bem próxima de nós. Seu nome: hidroxicloroquina. O termo farmacológico é agora o nome mais falado depois do coronavírus e desponta como um horizonte na direção do qual toda a sociedade vem depositando sua esperança em tempos difíceis.

Hidroxicloroquina, Cloroquina e Remdesivir

A corrida contra tempo é para identificar um medicamente que consiga contribuir no combate ao novo coronavírus, estudos científicos realizados recentemente apontam a hidroxicloroquina, cloroquina e remdesivir como possíveis combatentes poderosos da doença.

À linha de frente, e de onde vem maior esperança de cura, é a hidroxicloroquina, também conhecida pelo nome comercial Reuquinol. Este remédio o mesmo usado por pessoas que sofrem de lúpus e artrite reumatoide, além de ter sido usado nos anos 30 para combate da malária e até os dias atuais é usado no tratamento da doença.

Outros surtos que levou a população a ficar doente tiveram como cura a substância. Em 2003, quando a China sofreu com a Sars, o medicamento também foi usado para combater o vírus.

Eficácia no combate ao Covid-19

A eficácia do medicamento vem sido reconhecida mesmo antes do Covid-19, para apontar a hidroxicloroquina como eficiente e benéfica, o Instituto Mediterrâneo de Infecção de Marselha, realizado na França, publicou no periódico International of Antimicrobial Agents, o desempenho positivo do medicamento.

Citou ainda, uma outra composição usada para auxiliar na cura de vírus desse tipo, o antibiótico azitromicina, que combate infecções pulmonares causadas por bactérias. Os testes foram feitos em dois grupos de pacientes, aquele que recebeu o medicamento teve um resultado positivo e que gerou expectativa para os próximos portadores do vírus.

Para esclarecer o efeito obtido pelo medicamento, Gregory Rigano, orientador de pesquisa na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos e coautor do estudo sobre hidroxicloroquina falou para uma rádio que esse será o estudo mais importante a ser lançado sobre o tema.

Em fase de aprovação

É importante esclarecer que o medicamento está sendo usado em alguns pacientes e já mostra eficácia, entretanto, ainda está sob testes e análise da FDA no combate contra o coronavírus. O remédio não tem a aprovação de clínicas por conta de estarem sendo estudados, médicos e pesquisadores não recomendam seu uso sem o devido saber de seus efeitos colaterais.

O remdesivir se mostra um grande contribuinte na cura do vírus, mas se trata de um medicamento experimental, sendo assim, a probabilidade de estar disponível para o tratamento é bem menor comparado a hidroxicloroquina. Segundo estudos, anti-virais e favipiravir não são eficazes no combate ao Covid-19.