Dispositivo impresso em 3D abre portas sem uso das mãos

A solução pode reduzir a chance de contaminação cruzada de coronavírus

Foto: Divulgação

Evidências sugerem que o vírus que causa a covid-19 pode viver em superfícies como aço inoxidável e plástico por até três dias, o que significa que pode ser possível infectar-se tocando em uma dessas superfícies, como um puxador de porta e, em seguida, tocar sua boca, nariz, ou os olhos.

Pensando nisso, a Materialise, empresa de soluções de software e serviços de impressão 3D, criou um acessório impresso em 3D que permite que as portas sejam abertas com o antebraço — que deve estar coberto pela manga da roupa. A solução pode reduzir a chance de contaminação cruzada de coronavírus ao manter as mãos das pessoas limpas.

A ideia surgiu em uma sessão de brainstorming entre o CEO e engenheiros sobre o que a empresa poderia fazer para ajudar durante a crise coronavírus, afirma o vice-presidente Bryan Crutchfield. Segundo ele, o objetivo foi criar uma forma de abrir portas sem usar as mãos para tentar conter a propagação dos germes.

Dentro de 24 horas, foi feita a impressão em 3D e foi criado o primeiro protótipo. O acessório foi desenvolvido para ser portátil, dessa forma, para usá-lo não é necessário furar a porta ou substituir a maçaneta. O projeto foi baixado aproximadamente 30 mil vezes e a empresa imprimiu cerca de 1.500 cópias para clínicas e hospitais. 

A empresa está em processo de desenvolvimento de projetos de impressão 3D de outros dispositivos que podem ser usados em ambientes médicos durante a crise do coronavírus, mas esses projetos estão aguardando os julgamentos apropriados antes que a empresa disponibilize os arquivos.