Bill Gates declara qual é a melhor forma de combater o coronavírus

Para ele, não há escolha a não ser continuar com o isolamento social

Foto: Reprodução

Bill Gates, fundador da Microsoft, afirmou em 2015 ao TED que o mundo não estava preparado para lidar com uma pandemia. Cinco anos depois, com a crise do covid-19, o bilionário americano declarou que é favorável aos atuais esforços de isolamento social para impedir o avanço da doença causada pelo novo coronavírus

Gates criticou a forma como alguns líderes globais, em especial, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estão conduzindo a reação à pandemia do coronavírus. Ele afirmou em nova entrevista ao TED que, se fosse um chefe de estado, priorizaria essa estratégia para “achatar a curva” de contágio da pandemia.

Para ele, não há escolha a não ser continuar com o isolamento social. Apesar de não citar nomes, as palavras foram uma clara referência a Trump, que vem defendendo a volta das atividades, mesmo diante do avanço da doença, argumentando que as perdas econômicas podem causar danos piores do que a pandemia. 

Na entrevista, o bilionário diz que essa postura seria “muito irresponsável”, e não é possível “simplesmente reiniciar a economia e ignorar a pilha de cadáveres”. Segundo ele, se o isolamento for feito com seriedade, pode haver melhora nos números em 20 dias. A doença já infectou mais de 440 mil pessoas no mundo e matou mais de 19,7 mil delas.

Gates é a segunda pessoa mais rica do mundo, com patrimônio estimado em US$ 97,4 bilhões — cerca de R$ 495 bilhões. Ele já doou 25% de sua riqueza à caridade, principalmente por meio da fundação que criou com sua esposa, Melinda, que já doou US$ 50 milhões (R$ 254 milhões) até aqui, para o combate ao coronavírus.