Anel inteligente é usado para identificar sintomas do coronavírus

Pesquisadores esperam desenvolver um algoritmo baseado nos dados do anel que poderia detectar o vírus

Foto: Divulgação

Um novo estudo irá avaliar um anel inteligente capaz de medir a temperatura do paciente em uma tentativa de identificar mais cedo as pessoas que têm o novo coronavírus. Mais de 2 mil médicos da emergência do Centro Médico de São Francisco e do Hospital Geral Zuckerberg San Francisco, usarão os anéis.

Os dispositivos serão dados a médicos de emergência que entram em contato com pacientes que possam ter o covid-19. Fabricados pela empresa Oura, os anéis inteligentes são comercializados como rastreadores de sono, por monitorarem a freqüência cardíaca, freqüência respiratória e alterações na temperatura corporal.

Os pesquisadores esperam desenvolver um algoritmo baseado nos dados do anel que poderia detectar o vírus. Com isso, os médicos devem utilizar o dispositivo durante três meses, preencher pesquisas diárias para relatar se estão com algum sintoma e compartilhar dados de saúde coletados por meio de um aplicativo.

O acessório possui tecnologias como LEDs infravermelhos, sensores de temperatura NTC, um acelerômetro e um giroscópio. Já a bateria pode durar a sete dias depois de um carregamento sem fio por uma hora. Os dispositivos não são capazes de detectar o vírus, mas o dados coletados podem eventualmente ajudar a detectar a doença em estágio inicial nos pacientes.