Startup brasileira cria teste para coronavírus com resultado em 15 minutos

O teste conta com a ajuda da inteligência artificial para aumentar a velocidade do resultado

As healthtechs brasileiras estão agindo depressa para prevenir a doença Covid-19, diagnosticá-la rapidamente ou impedir que ela se espalhe. A Hi Technologies, startup paranaense especializada em exames laboratoriais, está produzindo um lote de testes para diagnosticar o coronavírus em até 15 minutos.

O cofundador e presidente da companhia, Marcus Figueiredo, afirmou que o teste foi validado há poucos dias e o primeiro lote chegará a alguns clientes na semana que vem. Em seguida, chegará a farmácias e hospitais de algumas das cidades mais populosas do país a partir de abril. O nível estimado de precisão do teste desenvolvido pela Hi é de 93% a 98%.

A pandemia estava sendo monitorada pela equipe de 130 funcionários da startup desde o final do ano passado. Há quatro semanas, um artigo científico validando um teste rápido de novo coronavírus foi publicado na China. A Hi Technologies e outras empresas passaram a replicar os resultados em equipamentos próprios.

No caso da Hi, foi usado o Hilab, um equipamento utilizado para realizar testes rápidos de sangue — como colesterol, dengue, gravidez, HIV e vitamina D. A tecnologia será usada somente em pessoas já apresentam sintomas do coronavírus há pelo menos três dias. A detecção é feita por meio de um anticorpo produzido pelo próprio indivíduo, e não do Covid-19.

O procedimento é realizado com a amostra de sangue coletada numa cápsula e introduzida com reagentes no Hilab. O resultado é transmitido instantaneamente para um laboratório físico, onde os dados são processados com uso de algoritmos antes da emissão de um laudo. Segundo a empresa, o será R$ 130.

O executivo explica que a demanda deve se intensificar na mesma proporção que o total de casos confirmados, mas o volume de testes deve crescer de forma planejada. A Hi Technologies não revela o total de aportes captados, mas tem os fundos Monashees e Qualcomm Ventures e a gigante de tecnologia Positivo entre seus investidores.

A startup cresce 30% ao mês e ainda está formulando suas projeções de crescimento para 2020, diante do aumento recente da demanda. Além da Hi, hospitais e outras empresas de diagnósticos médicos no Brasil como Fleury, Dasa e Hermes Pardini, estão produzindo seus próprios mecanismos de testes para o coronavírus, a fim de combater a pandemia.

Conheça o Hilab