Startup cria sachê comestível e biodegradável para acabar com garrafas

Feito com algas-marinhas, sachê pode ser ingerido junto com a água ou ser reciclado

Cada garrafa de plástico descartada no lixo comum demora cerca de 200 anos para se decompor nos aterros sanitários. Pensando nisso, e em todos os problemas que esse excesso de lixo gera para o planeta, a empresa Notpla de Londres resolveu trabalhar para lançar uma grande iniciativa para o futuro: a Ooho.

A Ooho é um sachê transparente e comestível, feito com algas marinhas. A ideia é garantir que não haja impacto ambiental no descarte do produto. Pierre-Yves Paslier, cofundador da empresa, afirma que o objetivo é obter uma solução a prova de balas, que não importa onde termine, as embalagens não vão causar consequências negativas.

O sachê é uma solução ecológica para o desperdício da água engarrafada no mundo. A meia-maratona de Londres, que será disputada no 29 de março, não terá as mesas com copos d’água para hidratar os corredores. Em vez disso, os organizadores se juntaram a Notpla.

Com a parceria, os corredores poderão simplesmente morder a ponta e beber a água. Se quiserem, podem até comê-lo. O executivo afirma que o sachê não tem sabor e basta colocar dentro da boca e morder. Em seguida, a cápsula explode. Segundo ele, a embalagem comestível é criada utilizando conceitos de gastronomia molecular.

Um cubo de gelo é colocado em uma solução de cloreto de cálcio e extrato de alga marinha. A mistura se junta a redor do cubo, criando uma camada que, após o gelo derreter, retém a água. Além de eventos esportivos, a Notpla já se juntou com uma marca de whisky, Glenlivet, para criar coquetéis sem copos.