Causa de impacto social pode inspirar lucro de e-commerces

Polen é uma solução para facilitar o apoio de empresas a causas sociais

O Adus, que ajuda refugiados, é uma das instituições apoiadas pela Polen

Por Letícia Höfke

Nesta matéria sexta reportagem da série Startups Transformadoras, o assunto é a Polen, que, atuando desde 2014, descomplica a conexão entre empresas e causas sociais.

De acordo com startup, os negócios que têm envolvimento em projetos filantrópicos fidelizam mais seus clientes, gerando mais valor para marca e consequentemente, aumentando vendas. Além disso, as instituições filantrópicas recebem mais recursos para realizarem seus trabalhos.

Os consumidores, cada vez mais, demandam marcas socialmente responsáveis e que geram um impacto positivo no mundo. A empresa integrada ao Polen doa um valor fixo ou percentual de cada compra para uma instituições selecionadas pela empresa – e que o cliente pode escolher. A startup tem com mais de 300 instituições, que já receberam mais de R$ 200 mil em doações. 

A Polen também ajuda a tirar projetos sociais do papel, já que muitos ecommerces têm um projeto de impacto guardado na gaveta por falta de recurso, tempo ou medo da repercussão.

O início 

Tudo começou em 2012, quando o empreendedor e músico, Fernando Ott, observou a crescente nos números da receita do e-commerce no Brasil e desenvolveu uma startup social para tentar resolver o problema da captação de recursos das instituições.

A empresa se chamava PagSocial e o meio de pagamento dividia sua taxa com as ONG. Essa ideia foi aprovada na primeira aceleração da StartYouUp, no início de 2014. No entanto, foi impedida por um marco regulatório governamental.

Nascia a Polen, uma solução muito mais prática com um modelo de negócio muito mais maduro. Atualmente, a startup está entre as 10 de impacto social que saíram na lista 100 Startups to Watch deste ano.