Aplicativo permite que usuários façam doações para ONGs

Na plataforma Ribon, o usuário pode doar sem usar seu dinheiro

Crianças assistidas pela SCI, uma fundações que participa do Ribon e que garante remédios para populações africanas

Por Letícia Höfke

Nesta quarta matéria da série especial Startups Transformadoras, a empresa em foco é a Ribon, criada por estudantes da Universidade de Brasília (UnB).

Disponível para Android e IOS, o aplicativo Ribon é uma plataforma que promove doações a ONGS de diversas partes do mundo. Porém, o usuário não usa seu próprio dinheiro e sim os ribons, moedas virtuais do serviço. Para obtê-las, é só ler as notícias no app e dessa forma, empresas patrocinadoras doam dinheiro real as causas sociais por meio de visualização de anúncios. 

Donativos

Os donativos são feitos a comunidades em situação de extrema pobreza de modo a atender a necessidades básicas como água, remédios e saúde. Com aproximadamente três dias de uso do Ribon, já é possível fazer a diferença na vida de pessoas ao redor do mundo.  

O usuário, que ganha 100 ribbons por dia, pode ainda consultar as doações por meio de comprovantes mensais disponíveis no app, além de poder conferir a quantidade exata de ribons doada para cada causa e o impacto gerado. 

Caso o usuário deseje ajudar ainda mais as causas sociais, pode comprar ribons com o valor mínimo de R$ 4,90 por mês. O dinheiro arrecadado é 100% direcionado para as ONGs.

O início 

O Ribon foi criado em 2016 por Carlos Menezes, João Moraes e Rafael Rodeiro, quando estudavam na UnB. Eles se conheceram na empresa júnior da faculdade. O time multidisciplinar – Carlos é desenvolvedor, João é designer e Rafael entende de negócios – foi de grande ajuda para a criação do app, cujo nome é uma referência à palavra inglesa que significa “laço”.