Farmacêuticas buscam solução para o coronavírus com inteligência artificial

Comunidade médica está se movendo rapidamente para encontrar remédios que podem tratar a doença

Foto: Reprodução

Desde que o novo coronavírus foi relatado pela primeira vez como um conjunto de casos de pneumonia em Wuhan, na China, comunidades científicas e médicas se mobilizaram para encontrar um medicamento que trouxesse o número crescente de casos sob controle.

Para acelerar a pesquisa e obter resultados mais rapidamente, empresas buscam solução com o uso da inteligência artificial (IA). Cientistas na China já sequenciaram o genoma do coronavírus, abrindo as portas para que outros entrem e desenvolvam vacinas e tratamentos. As empresas usam a IA para pesquisar moléculas para potenciais remédios.

A Benevolent AI explicou como encontrou um medicamento que poderia ser reutilizado para combater o coronavírus usando inteligência artificial. A escolha mais promissora é uma remédio que é usado atualmente para tratar a artrite reumatóide. A droga é para prevenir a propagação de infecção, bem como a inflamação.

Insilico Medicine, por outro lado, tomou uma abordagem diferente, usando inteligência artificial para identificar seis novas moléculas que podem inibir a propagação do coronavírus dentro do corpo. A empresa publicou um documento mostrando o avanço das descobertas com a intenção de ajudar com uma solução contra o vírus.

O objetivo tanto da Benevolent AI quanto da Insilico Medicina é ajudar a acelerar a busca por uma solução. Se conseguirem avançar nas descobertas, as empresas esperam realizar testes em seres humanos dentro do próximo ano — processo mais rápido que o comum da indústria farmacêutica.