Intenção de consumo das famílias sobe em fevereiro, segundo CNC

É o maior nível desde abril de 2015 e melhor para o mês em 5 anos

Budget of poor and low income family. Rising food and grocery store prices and expensive daily consumer goods concept. Miniature shopping cart and trolley on table with calculator, pen and paper.

O Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), calculado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), atingiu 99,3 pontos em fevereiro, um crescimento de 1,2% na comparação com janeiro.

Na comparação com fevereiro do ano passado, o crescimento foi de 0,8%. É o maior registro desde abril de 2015, último mês em que o índice esteve com satisfação, que é acima de 100 pontos. O resultado também é o melhor para um mês de fevereiro em cinco anos.

De acordo com o presidente da CNC, José Roberto Tadros, o resultado mostra uma recuperação gradativa do consumo, ancorada em fatores econômicos, como a diminuição do desemprego e o aumento das contratações líquidas, além da taxa inflacionária baixa.

A pesquisa apontou também que 39,1% dos entrevistados se sente mais seguro em relação ao seu emprego atual. Com 119,9 pontos, foi o subíndice que obteve a melhor pontuação em fevereiro, entre os considerados pelo levantamento.

Os indicadores de condições e perspectivas de consumo também melhoraram. O acesso ao crédito impulsionou o desempenho positivo, com 32,1% das famílias indicando que comprar a prazo está mais fácil. Desde junho de 2015 não havia resultado tão favorável.