Engenheiro desenvolve jornal com tela e-Ink

Batizado de Paper, o jornal não possui links, animações, multimídia, previsão do tempo, agenda ou outros

A tela e-ink possui 31,2 polegadas e exibe a página inteira de um jornal (foto: reprodução)

Os jornais impressos não são esquecidos, mas sim, repaginados. A tecnologia que invade cada vez mais a vida de todas as pessoas, foi o principal responsável pela criação do protótipo de um jornal eletrônico que recebeu o nome de Paper. A novidade foi uma invenção do engenheiro norte-americano Max Braun.

O desenvolvedor do jornal eletrônico pensou em material simples e fácil de uso. Nada rebuscado ou com muitas ramificações mesmo desenvolvido por meio da robótica e inteligência artificial.

Tecnologia calma

O leitor não irá se deparar com links, animações, multimídia, previsão do tempo, agenda ou outros. Braun explicou que o Paper foi criado seguindo os princípios de Calm Technology (tecnologia calma), que editam que ” a tecnologia deve exigir o mínimo possível de atenção ” e dar às pessoas apenas o que necessitam para resolver seu problema, nada mais.

Similar ao modelo de leitura usado pelo New York Times, o Paper foi configurado para a exibição da tela inteira pela e-Ink (papel eletrônico, mesma tecnologia usada em e-Readers como o Kindle), sendo distribuído de maneira monocromática de 31, polegadas. O sistema utilizado é o Linux, com um software customizado.

Produto acessível?

Em relação ao valor atribuído no produto, o Paper não é considerado tão acessível, não possuindo um valor barato. Quanto aos respectivos preços, a tela monocromática gira em torno de US$ 1.500 (quase R$ 6.500), a controladora é estimada em mais de US$ 500 (convertida fica por R$ 2.150), e, por fim, a tela colorida custa US$ 2.000. O desenvolvedor relata que o contraste e resolução “não são satisfatórios”.

Accent e espelho inteligente

Braun reconhece o espaço dos gadgets, e carrega em sua bagagem de criações um espelho inteligente que, praticamente, faz o papel de secretário informando o que de mais importante será preciso para passar o dia. Outro projeto desenvolvido por ele foi o Accent, que desempenha a função de alertar e conscientizar para os cuidados no trânsito entre os fins de semana e outros períodos.