Coronavírus se torna principal fator para declínio econômico da China

Investidores retiraram US$ 393 bilhões do índice de ações de referência da China

China perde US$ 393 bilhões de índice CSI300 após disseminação do coronavírus (foto: reprodução)

Após a confirmação do coronavírus ter tido início na China, a situação econômica do país vem só despencando, o que não deixa de impactar o mundo todo. Após relatos da disseminação da doença, commodities foram abandonados e ocorreu a venda do iuan.

Outro fato que pesa ainda mais para os chineses foi a retirada de US$ 393 bilhões por investidores do índice de ações de referência da China. A queda nas vendas já pôde ser bastante percebida logo no primeiro dia depois do extenso feriado do Ano Novo Lunar.

Em quatro anos, a China não havia passado por tal crise em relação ao índice CSI300 (que reúne as gigantes companhias listadas em Xangai e Shenzhen), após os casos de coronavírus no país, o índice registrou declínio de 7,88% em Shenzhen, enquanto Shangai teve queda de 7,72%.

Segundo Stephen Innes, chefe de estratégia da AxiCorp, não foi um terremoto na abertura, se o quadro de vítimas do coronavírus não começar a melhorar e a economia chinesa se deteriorar mais do que o esperado, isso significa que haverá mais dificuldades.

Hong Kong apresentou tímida melhora de 0,17% de índice Hang Seng, a 23.356,98 pontos;

O índice SSEC, em Xangai, reduziu 7,72%, a 2.746,61 pontos;

Houve um retrocesso de 7,72% no índice CSI300 em Shangai e Shenzhen, a 3.688,36 pontos;

O índice Kospi, em Seul, apresentou quase nulo crescimento, com apenas 0,01%, a 2.118,88 pontos;

Em Taiwan, o baixo resultado ficou em 1,22% no índice Taiex, a 11.354,92 pontos.