Magazine Luiza compra Estante Virtual por R$ 31 milhões

Toda a base de livros da Estante deve integrar o marketplace do Magazine

Foto: Reprodução

O site de venda de livros Estante Virtual foi arrematado pelo Magazine Luiza, por R$ 31 milhões. A operação era controlada até então pela Livraria Cultura, que está em recuperação judicial e vendeu o ativo para pagar dívidas. Apenas o Magazine teve interesse no site.

Toda a base de livros da Estante deve integrar o marketplace do Magazine. A Estante tem vendas anuais de R$ 90 milhões — considerando a receita de lojistas hospedados no site. Não houve crescimento neste montante em relação a 2018 — a Cultura cortou investimentos no negócio, limitando sua expansão.

Segundo trâmites legais da recuperação judicial, ainda cabe impugnação da compra no prazo de cinco dias e há mais um período de 15 dias para assinatura do contrato. O valor de R$ 31 milhões pelo ativo ficou abaixo da avaliação feita pela Cultura, em R$ 44 milhões.

Caso a aquisição seja confirmada, a compra torna o Magazine mais competitivo no mercado de livros liderado pela Amazon, que ampliou sua força após a crise vivida pela Saraiva e Cultura. A Estante tem 6 mil lojistas hospedados, sendo que 40% da venda são de itens novos e 60% de usados. Esses 6 mil lojistas se somam aos 14 mil lojistas hospedados no Magazine, totalizando 20 mil.

A Estante não registra prejuízo. Em 2019, operou com equilíbrio, inclusive chegando a ter um pequeno lucro no fim do ano. Não há expectativa de que o Magazine faça algum aporte urgente na Estante Virtual — com Netshoes, o Magazine precisou injetar recursos logo após a aquisição.

A compra faz parte do plano de expandir a operação do marketplace para novas categorias. Para tornar o site mais robusto, a empresa busca ampliar a atuação para outros setores. Além de livros, a empresa já falou da necessidade de fortalecer a operação em moda e alimentos.