Epidemia de coronavírus pode afetar produções da Apple

Fabricante do iPhone é parceira da chinesa Foxconn e concentra parte de sua produção no país

Foto: Reprodução

O coronavírus, epidemia que teve origem na China, também está impactando o mercado. Uma das empresas impactadas é a Apple. A fabricante americana trabalha em conjunto com a chinesa Foxconn, onde é feita a maior parte da montagem dos seus produtos, e a falta de trabalhadores afeta diretamente o número de remessas.

Ainda que nenhuma das principais fábricas chinesas da Apple fique a menos de 500 quilômetros de Wuhan, o epicentro do surto, analistas afirmam ser difícil imaginar que a cadeia de produção não seja afetada. A província de Henan, onde fica a fábrica controlada pela Foxconn, tem visto aumentar os casos confirmados do coronavírus.

Conforme reportado pelo 9to5Mac, casos de contaminação registrados na província de Henan ameaçam paralisar a produção dos dispositivos. Isso porque o governo chinês pode decretar o fechamento de estabelecimentos comerciais na região. A prática foi adotada na província vizinha de Hubei.

O impacto maior deverá ser na produção da nova linha dos aparelhos chamados inicialmente de “iPhone 9/SE”. O dispositivo será lançado em fevereiro e é a aposta da companhia para atrair consumidores que desejam um celular potente e com menor custo. Já os dispositivos que serão lançados em setembro não deverão ser impactados.

Entenda sobre o caso

Até o momento, o novo coronavírus já matou mais de 130 pessoas e infectou quase 6 mil em todo o mundo. Todas as mortes ocorreram na China. O vírus também já chegou na Tailândia, Taiwan, Japão, Macau, Malásia, Singapura, Austrália, Estados Unidos, França, Alemanha, Coreia do Sul, Canadá, Vietnã, Camboja, Nepal e Sri Lanka.

No Brasil, o Ministério da Saúde monitora nove casos suspeitos até o momento, divididos em 6 estados: Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (1), Santa Catarina (2), São Paulo (3), Paraná (1) e Ceará (1). A Organização Mundial da Saúde aumentou o nível de alerta para alto em relação ao risco global do novo coronavírus.