Wish testa logística para acelerar entregas no Brasil

Brasil é o segundo país com maior tráfego de clientes, perdendo só para os Estados Unidos

Foto: Reprodução

A Wish, empresa americana de comércio eletrônico, está testando um novo modelo de logística para o mercado brasileiro com o objetivo de reduzir o tempo de entrega. A companhia criou o Wish Post, iniciativa que consolida os pedidos em armazéns na China, Europa e América do Norte antes de enviar os pacotes para os consumidores.

Os testes desse novo serviço estão começando pelo Brasil, o segundo maior país para a plataforma em número de usuários, atrás dos Estados Unidos. No dia 14 de janeiro a empresa informou queda pela metade no prazo de entrega. As opções de envio anteriores no site variavam de 35 a 60 dias, e caíram para de 25 a 45 dias após a confirmação do pagamento. 

A empresa explica que passou a consolidar a chegada nos pedidos no país, que antes, chegavam sem maior controle. Com a unificação desses pedidos em um só sistema de controle interno desde o fim de 2019, a taxa dos Correios passou a ser incorporada ao preço final do frete, por meio de uma parceria entre a empresa e a estatal brasileira. 

O Brasil também será o primeiro país a testar um programa local da Wish, para incorporar lojistas brasileiros em sua plataforma. A ideia é reduzir ainda mais o custo e o tempo de entrega, quanto exportar para outros países. No futuro, a ideia é usar as lojas parceiras para retirada das compras em loja.

A Wish

A Wish é conhecida por oferecer produtos de moda, eletrônicos e para casa a preços bastante baixos. Em 2019, a empresa atingiu 119 milhões de usuários ativos mensais e vende mais de um bilhão de produtos por ano. Atualmente, cerca de 85% dos vendedores na plataforma são asiáticos. 

O marketplace vende itens de mais de 1 milhão de vendedores diferentes e, para deixar a operação mais leve e barata, o próprio vendedor envia seus pedidos para o consumidor. A Wish é o segundo maior marketplace do país em vendas anuais — perde apenas para Aliexpress, e está à frente da Amazon