Confiança do empresário é a maior desde junho de 2010

Indicador subiu 1 ponto em janeiro e chegou a 65,3 pontos

Foto: Reprodução

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) subiu para 65,3 pontos em janeiro. Com a alta de 1 ponto em relação a dezembro de 2019, o indicador está 10,5 pontos acima da média histórica e é o maior desde junho de 2010. Os dados são da pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Os indicadores variam de zero a cem pontos. Quando estão acima de 50, mostram que os empresários estão confiantes — quanto maior o índice, maior é a confiança. O Icei é maior nas grandes empresas, subiu para 66,4 pontos neste mês. Nas médias, o Icei é de 64,9 pontos e, nas pequenas, de 63,4 pontos.

A CNI afirmou em comunicado que é importante observar que a confiança elevada se baseia não somente nas expectativas para os próximos seis meses, como também no sentimento de melhora da situação econômica corrente. Para a organização, o aumento da confiança dá impulso à produção e ao investimento.

Marcelo Azevedo, economista da CNI, afirmou que os empresários estão mais otimistas porque percebem melhoras no ambiente de negócios. Segundo o executivo, os juros e a inflação estão menores e há um aumento da demanda e da produção. Desde o fim do ano passado, há uma melhora da atividade.

A confiança melhorou em quatro das cinco regiões do país. A exceção foi a região Centro-Oeste onde o índice caiu 0,7 ponto para 64,6 pontos. O Sul é a região mais otimista com índice em 67,2 pontos, seguida pelo Norte com 65 pontos, Nordeste com 64,5 pontos e Sudeste e Centro-Oeste com 64,6 pontos.

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria, a confiança é maior nas grandes empresas, que ficou com índice em 66,4 pontos, em seguida vem as médias empresas com 64,9 e as pequenas com 63,4. A pesquisa foi feita de 6 a 17 de janeiro, com 2.458 empresas.