Brasil criou 644 mil empregos formais em 2019

É o melhor resultado desde 2013

Foto: Reprodução

O Brasil abriu 644.079 empregos formais — com carteira assinada — em 2019, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O número resulta da diferença entre as contratações, que totalizaram 16.197.094 no último ano, e as demissões que totalizaram 15.553.015 pessoas.

É o segundo ano consecutivo de aumento de abertura de vagas com carteira assinada. O número reflete uma expansão de 21,63% em relação a 2018, quando foram contabilizados 529.554 novos postos. É também o melhor resultado desde 2013, quando foram criados 1,117 milhão de contratações, sendo o maior número de vagas formais abertas em seis anos.

O setor de serviços registrou o maior saldo positivo no ano. Foram 6.966.824 admissões e 6.584.299 desligamentos, ou seja, 382.525 postos a mais, alta de 2,22% sobre 2018. Na sequência aparece o comércio com 3.996.673 admissões e 3.851.198 desligamentos, com um saldo positivo de 145.475 vagas, crescimento de 1,61% sobre o ano anterior.

Em seguida, vem o setor de construção civil que obteve um crescimento de 3,60% com 1.461.022 admissões e 1.389.907 desligamentos, isto é, 71.115 novos postos. Com a abertura de vagas em 2019, o Brasil fechou o ano com um estoque de 39,05 milhões de empregos formais existentes — em 2018, o saldo de empregos formais foi 38,43 milhões.

De acordo com o Ministério da Economia, todas as cinco regiões do país registraram mais contratações do que demissões em 2019. A região Sudeste foi a que mais abriu vagas, totalizando 318.219. Em seguida a região Nordeste com 76.561 vagas criadas. Depois a Norte com 32.576 vagas. Em quarto, a Centro-Oeste com 73.450 vagas. Por fim, a Sul com 143.273 vagas.