Expectativa de inflação sobe para os próximos 12 meses, aponta FGV

Expectativa interrompeu a tendência de queda iniciada em agosto

Foto: Reprodução

Os consumidores brasileiros acreditam que o país terá uma inflação acumulada de 5% nos próximos 12 meses, interrompendo a tendência de queda iniciada em agosto de 2019. O resultado é da Expectativa de Inflação do Consumidor, realizada pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O levantamento é realizado com base em entrevistas com consumidores brasileiros, que respondem à seguinte pergunta: “Na sua opinião, de quanto será a inflação brasileira nos próximos 12 meses?”. Em relação ao mesmo mês de 2019, houve estabilidade nas expectativas.

Renata de Mello Franco, economista da FGV, afirma que após permanecer por dois meses consecutivos no nível mínimo da série histórica, a expectativa de inflação dos consumidores aumentou nas faixas de renda mais baixas, onde a alta no preço das carnes tem maior relevância.

A economista explica que isso acontece devido ao seu maior peso na cesta de consumo desses consumidores. Como parte das expectativas se baseiam em inflação passada, segundo ela, é esperado que esse efeito se dissipe nos próximos meses.

Os consumidores que projetam valores abaixo da meta de inflação atual (4,0%) reduziu, de 52,4% em dezembro de 2019 para 48,4% em janeiro de 2020. Por outro lado, os consumidores projetando dentro dos limites inferior e superior da meta de inflação (entre 2,5% e 5,5%) para 2020 aumentou, de 63,5% para 64,7%.