Uber testa recurso e motoristas vão poder escolher preço das corridas

A nova ferramenta é uma estratégia para mostrar que motoristas são contratados independentes, e não funcionários

Foto: Reprodução

A Uber está testando uma nova função que permite a alguns motoristas da Califórnia, nos Estados Unidos, que eles determinem o preço da corrida. Segundo reportagem do Wall Street Journal, publicada nesta terça-feira (21), as tarifas poderão ser até cinco vezes maiores do que a fixada pelo aplicativo para Android e iPhone (iOS).

O objetivo da medida seria uma tentativa de atenuar as restrições do Projeto de Lei 5 (Assembly Bill 5 ou AB5), que exige que as empresas tratem seus profissionais como funcionários, e não como contratados independentes. A empresa disse ainda que fez essas e várias outras alterações para preservar o trabalho flexível de seus motoristas, desde que a nova lei da Califórnia entrou em vigor este ano.

Motoristas que operam nos aeroportos de Santa Barbara, Palm Springs e Sacramento podem, a partir de agora, participar de uma modalidade em que é possível aumentar as tarifas em até um máximo de cinco vezes o valor normal cobrado pela Uber. Quando uma corrida for solicitada, o aplicativo irá encaminhar o passageiro para o motorista com o preço mais baixo.

Os motoristas também poderão cobrar menos que as tarifas da Uber se a empresa aumentar seu preço em momentos de alta demanda. Os testes iniciais são limitados aos três aeroportos e não representam uma versão final do recurso, disse a empresa, acrescentando que o controle dos motoristas sobre seus ganhos evoluirá nas próximas semanas e meses.