Pretende vender uma ação? Veja essas dicas antes

O Valor Investe elencou 5 principais pontos que devem ser observados antes de vender uma ação

Em 2019, aproximadamente um milhão de brasileiros começaram a investir em uma renda variável. Diante da expectativa de que a tendência alta do mercado de ações continue em 2020, o Valor Investe resolveu lembrar que existem bons motivos para vender ações. 

Primeira dica 

Antes de tudo, é importante ficar de olho no balanço. Quando você adquire uma ação, compra uma pequena participação naquela empresa e por isso, é importante acompanhar divulgações financeiras e societárias da companhia. Essas divulgações são obrigatórias e são feitas no site Comissão de Valores Mobiliários.

Segunda dica 

Outra dica é mostrar ao investidor interessado em comprar se a ação já entregou o suficiente de rentabilidade. Em entrevista para o Valor, o professor do Ibmec-Rio e economista da Órama Alexandre Espírito Santo afirmou que quando alguém compra uma ação, é porque fez um estudo para se ter uma ideia do “preço-justo”. Por exemplo, se o valor for R$ 10 e na bolsa, estiver R$ 7, o investidor vai querer comprar. 

Segundo ele, quando a ação alcança o preço almejado no momento da compra, é hora de vender ou reavaliar o investimento de modo a entender se o ativo ainda guarda algum potencial de valorização. 

Terceira dica 

Ficar de olho em como anda o setor também é essencial, pois, de acordo com o Valor, para entender se uma empresa está entregando um desempenho acima da média, é preciso levar em consideração o setor o ciclo econômico. Por exemplo, uma empresa de um determinado setor que espera ter um bom desempenho em períodos de crescimento da economia. Se isso não está acontecendo ou se a empresa tem performance consistentemente abaixo da concorrência, talvez seja hora de vender a ação.

Quarta dica 

Usar fórmulas para analisar uma empresa podem ajudar o investidor a comprar ações de diferentes empresas e a identificar oportunidades de compra. Essas fórmulas devem ser usadas em conjunto com outros parâmetros de decisão de investimentos.

Entre as principais, três deles procuram fazer uma relação entre valor de mercado e medidas contábeis, como o P/L — Preço/Lucro; EV/Ebitda — Enterprise Value/Ebitda ou Firm Value/Ebtida; e P/VPA — Preço/Valor Patrimonial da Ação.

Quinta dica

E por fim, a última dica do Valor é para caso seja hora de se desfazer de um ativo que não deu certo. O melhor é amargar o prejuízo, antes que se torne grande no portfólio e corroa os ganhos de outras aplicações. 

O Valor recomenda que o investidor imponha uma perda máxima, o que varia de acordo com a resistência de cada um para perdas. De acordo com o jornal, quem tem uma perda contratada mentalmente, não tem aborrecimento.