Spotify para pets: agora é possível criar playlists para animais de estimação

Serviço é baseado na personalidade do animal e nas canções que o dono escuta

Gatos, cães e outros pets agora têm suas listas de reprodução no Spotify: a plataforma de música sueca lançou nesta quarta-feira (15) um serviço de streaming para animais. Para isso, o Spotify criou um site próprio, o Pet Playlist, onde você seleciona o seu tipo de animal de estimação entre cinco opções — cachorro, gato, hamster, pássaro e até iguana. 

A plataforma afirmou em comunicado que, o algoritmo permite que os usuários do Spotify gerem listas de reprodução personalizadas com base nos gostos musicais dos donos, do tipo de animal e de sua personalidade. O serviço pede que você defina brevemente a personalidade do bicho, se ele é agitado ou calmo, tímido ou amigável, apático ou curioso.

Por fim, o usuário pode incluir o nome e uma foto do pet, e o serviço criará uma playlist personalizada para ele. O comunicado explica que um cão com mais energia pode obter uma playlist mais alegre, quando um gato prefere ritmos mais lentos. Além do novo sistema, o Spotify também lançou um podcast exclusivo apenas no Reino Unido para “fazer companhia” e aliviar o estresse de cães deixados sozinhos em casa.

Criado com a ajuda de pesquisadores em comportamento animal, o podcast oferece atualmente dois episódios de cinco horas. A iniciativa foi criada com base em uma pesquisa no Reino Unido, em que o Spotify descobriu que 74% dos usuários deixam músicas tocando para seus animais de estimação. A pesquisa ainda indicou que, 42% dos assinantes afirmaram que seus animais têm um tipo preferido de música.

Um quarto dos donos de animais ainda afirmaram terem visto seus animais dançando ao som da música. Samantha Gaine, especialista da Royal Society for the Protection of Animals (RSPCA), citada no comunicado de imprensa do Spotify, explica que a música que um cachorro ouve é importante, e pesquisas demonstraram que algumas músicas podem ajudá-los a relaxar, enquanto outras podem ter efeitos menos benéficos.