Otimismo empresarial de São Luís está em alta

Em uma escala de 0 a 200 pontos, o Icep alcançou a marca de 131,1 pontos

Em 2019, o otimismo empresarial atingiu 12,4% em comparação a 2018 (foto: reprodução)

Os empreendedores ludovicenses encerraram o ano de 2019 com grandes expectativas, no ano anterior, em uma escala de 0 a 200 pontos, o índice de confiança do empresário do comércio (Icep) alcançou a marca de 131,1 pontos, o índice mais alto dos últimos seis anos.

De acordo com dados obtidos pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA), desde 2013 o setor não havia alcançado grande resultado, com isso, os empreendedores voltam a ficarem otimistas após seis longos anos.

Alguns fatores foram protagonistas na obtenção desse resultado positivo, entre eles estão; as avaliações das condições atuais da economia (+41,6%), do momento do comércio (+24,5%) e a perspectiva de investimento nas empresas (+20,9%). Em relação ao otimismo empresarial, equiparando 2018 ao ano passado, o índice cresceu 12,4%.

Segundo avaliou José Arteiro da Silva, presidente da Fecomércio-MA, a economia vai se recuperando e a confiança vai voltando ao mercado, com isso os empresários estão investindo cada vez mais e gerando empregos, o que resulta na recuperação da renda e no fechamento de um ciclo de reaquecimento do nosso comércio. Assim, o ano de 2020 vai chegando com excelentes projeções para o nosso setor produtivo.

Os bons resultados já podiam ser vistos desde o início do período natalino, com a chegada da época festiva, o comércio apresentou os resultados prévios de crescimento do volume de vendas. De acordo com pesquisas realizadas todos os anos pela Fecomércio, em comparação com 2018, 2019 já apresentava um crescimento de 6,5% nas intenções de gastos. O resultado foi além do esperado, superando as expectativas.

As vendas no Natal, segundo a Confederação Nacional do Comércio (CNC), no ano passado, saltaram de +4,8% para +5,2%. A instituição ressaltou que o Natal é a principal data comemorativa do varejo brasileiro e deve ter movimentado R$ 36,3 bilhões em 2019. O nível recorde de vendas ocorreu em 2014, quando o setor registrou movimentação financeira de R$ 36,5 bilhões.

Os varejistas com maior destaque em relação à movimentação financeira em 2019 deverão ser: hiper e supermercados (R$ 13,1 bilhões); lojas de vestuário (R$ 9 bilhões) e estabelecimentos de artigos de uso pessoal e doméstico (R$ 5,8 bilhões). A cada R$ 100 gastos durante o período natalino, R$ 77 foram destinados aos segmentos citados.