C6 Bank zera tarifa do cheque especial para clientes

Fintech aproveita momento de mudanças na cobrança do cheque especial para acirrar competição por melhor produto nessa categoria de crédito

Como forma de competir em uma nova realidade de juros e tarifas mais baixos, o banco digital C6 Bank anunciou que irá isentar seus clientes da nova tarifa do cheque especial que passou a valer desde o dia 6 de janeiro. Por determinação do Comitê Monetário Nacional (CMN), os bancos poderão cobrar uma taxa de 0,25% sobre o valor disponível no cheque especial que exceder R$ 500.

Sem agências físicas, o C6 Bank aposta em serviços básicos sem custos para ganhar espaço no concorrido mercado das fintechs — já são mais de 600 delas no país. O banco não cobra taxas para manutenção da conta corrente, saques, pagamentos, emissão de boletos, transferências e emissão de cartão de crédito na modalidade standard.

Da mesma forma, o Banco do Brasil (BB), o Itaú Unibanco e a Caixa Econômica Federal também se posicionaram ao divulgar isenção sobre as nova tarifa do cheque especial, enquanto o Santander já aderiu aos 0,25% por mês. Segundo divulgado pelo BB, a isenção tem o objetivo de fortalecer a relação com os clientes. Já o Itaú afirmou que não vai cobrar a tarifa por enquanto.

Entenda melhor as mudanças no cheque especial 

O governo Jair Bolsonaro limitou a 8% ao mês os juros do cheque especial cobrados pelos bancos, mas permitiu que as instituições cobrem uma taxa mensal para oferecer o produto aos clientes. A decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN) foi divulgada no dia 27 de dezembro de 2019. A limitação dos juros entrou em vigor no dia 6 de janeiro.