Tire proveito da arrancada do setor de construção civil por meio de fundos imobiliários

Para o setor, o aguardado é expansão de 2% para esse ano e aceleração para 3% no ano subsequente

Com o aquecimento do mercado imobiliário, as oportunidades devem aumentar (foto: reprodução)

Fechando um ciclo de recessão em 2019, o setor de construção civil tem grande expectativa de progresso para 2020, o aguardado é expansão de 2% para esse ano e aceleração para 3% no ano subsequente, de acordo com o SindusCon SP. Acompanhando o crescimento do setor entram as oportunidades de investimentos que aumentam com esse progresso.

Segundo analistas, a partir de agora, de acordo com o aquecimento do mercado imobiliário, as oportunidades devem aumentar e isso se dá através dos tradicionais fundos de renda fixa, que são aplicados em títulos do governo, apresentando maior rendimento.

Gabriel Ribeiro, chefe de produtos da Messem Investimentos declarou que as pessoas estão mais dispostas a correr risco, mas a sua parcela de investimentos mais conservadores tende a permanecer. Nesse ambiente, vemos os fundos imobiliários como alternativa para o aplicador que quer um pouco mais de retorno, mas não quer correr tanto risco quanto o da Bolsa de Valores, por exemplo.

Modelos de fundos imobiliários

Fundo de fundos: Se dá por meio de compra de cotas entre fundos

De papel: Usa-se de exemplo a LCls (Letras de Crédito Imobiliáio) e CRls (Certificados de Recebíveis Imobiliários), rede e incorporadoras com projetos imobiliários que possuem títulos e são comprados por fundos.

De tijolo: O fundo compra participação direta em imóveis, como conjuntos residenciais, shopping centers, prédios de escritórios ou redes de hospitais. O aluguel pago pelos locatários desses imóveis é que vai remunerar o fundo.

Pontos favoráveis

Entre comprar uma casa e um fundo imobiliário, a maior diferença é o tempo de retorno do investimento, ou seja, para repassar uma casa comprada, exige tempo entre a venda, conclusão de negociação e recebimento do valor cobrado pelo imóvel, o fundo imobiliário, por sua vez, tem liquidez maior, o que leva em maior rapidez no resgate do dinheiro.

Outro ponto positivo é o fator investimento em imóveis, aquele que investe e recebe renda de aluguel precisa pagar Imposto de Renda, que sofre reajuste e consequentemente aumenta sempre que o aluguel altera de valor.

Pontos negativos

Em contrapartida, existem fatores negativos, o administrador do fundo passeia por diversificados negócios, onde compra títulos ou participações em negócios, fazendo assim com que os riscos sejam diluídos.

É importante observar com atenção o demonstrativo de resultados do fundo e avaliar quanto da renda do fundo vem de alugueis recorrentes e quanto vem de renda garantida, alerta Rossano Nonino, diretor da Ourinvest Real Estate. Carlos Ferrari, sócio da NFA Advogados ressaltou que como outros fundos, esse tipo de investimento não conta com a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Tipos de ofertas

A oferta primária, em seu curso final, sempre chegará a ser vendida na Bolsa, essa oferta pode se dar por meio de uma já existente no fundo ou pode ser aplicada no fundo lançado no mercado. Esse método é usado com uma reserva realizada pelo investidor na corretora e, com alguns dias, o dinheiro é convertido.

Outra opção é comprar cotas diretamente na Bolsa. Não há diferenciação entre a maneira de negociar das cotas e de ações. Tendo noção do código do fundo e lançar a ordem correspondente a quantidade de cotas desejada na plataforma da corretora.