Grupo Fleury fecha parceria com startup que reduz riscos de infecção generalizada

A robô Laura é uma aliada no gerenciamento de riscos e com foco na saúde dos pacientes

O Grupo Fleury fechou parceria com a startup Laura, plataforma de inteligência artificial e tecnologia cognitiva que ajuda a gerenciar os riscos em ambiente hospitalar, com o objetivo de reduzir os casos de sepse no ambiente hospitalar. Atualmente, o Grupo Fleury opera o serviço de coleta e processamento de exames de análises clínicas em 27 hospitais no Brasil.

Conforme dados do Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS), a infecção atinge de 15 a 17 milhões de pessoas por ano em todo o mundo. A taxa de mortalidade mundial chega a 40%. No Brasil, de 600 mil pessoas afetadas, 65% morrem por causa da sepse. A robô Laura irá oferecer a tecnologia inovadora sem custo aos hospitais-cliente da companhia.

Aline Amorim, gerente sênior de Negócios B2B do Grupo Fleury, afirma que a parceria disponibiliza um olhar analítico e estratégico para os hospitais parceiros. Já o Cristian Rocha, CEO da startup Laura, diz que é um passo importante dentro do propósito de levar tecnologia de ponta, acessível e eficiente ao maior número de hospitais e ajudar a salvar vidas.

Desenvolvida para ler as informações e analisar os dados dos pacientes, a robô Laura emite alertas que são enviados a cada 3,8 segundos à equipe médica, indicando alterações no quadro clínico dos pacientes e quais correm o risco de sofrer infecção generalizada. Além disso, a plataforma sinaliza com antecedência outros casos de deterioração clínica.

A tecnologia usa plataformas de computação cognitiva e machine learning que deixam ela sempre atualizada, em tempo real, ao aprender de acordo com novas informações e poder se adaptar a novas circunstâncias. Com isso, os profissionais têm acesso a informações para tomarem a melhor decisão possível. A equipe do hospital também pode se comunicar com a robô por meio de computadores ou dispositivos móveis.

Conheça a história da startup Laura: