Após novo aporte, Loft é o primeiro unicórnio brasileiro de 2020

Startup de compra e venda de imóveis recebeu investimento de US$ 175 milhões

Escritório da Loft, em São Paulo (Foto: Divulgação)

A startup brasileira Loft, de compra e venda de imóveis, recebeu um aporte de US$ 175 milhões dos fundos Andreessen Horowitz, Fifth Wall Ventures e Vulcan Capital, e alcançou o valor de mercado de US$ 1 bilhão, tornando-se o 11º unicórnio brasileiro com apenas 16 meses de operação, sendo o mais rápido do país.

A Loft é uma plataforma digital que usa a tecnologia para simplificar a venda e compra de imóveis. A startup foi fundada em 2018 na capital de São Paulo, pelo alemão Florian Hagenbuch, 32 anos, e pelo húngaro Mate Pencz, 33, e conta com o apoio de importantes investidores globais em capital de risco. A startup é a segunda tentativa dos estrangeiros no Brasil. 

O objetivo da Loft é tornar mais fácil o processo de venda, compra e reforma de apartamentos. No site da empresa, há mais de 300 imóveis anunciados. O aporte de US$ 175 milhões servirá de combustível para os planos de expansão de Pencz e Hagenbuch. Em São Paulo, a startup pretende chegar a regiões como Bela Vista e Zona Leste.

Além disso, a Loft quer levar a sua operação para outras capitais, como Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro. No primeiro semestre de 2020, começará sua primeira investida internacional, na Cidade do México. Os recursos também serão usados para impulsionar a comercialização dos produtos extras da empresa. 

Como a Loft funciona

A empresa compra o imóvel de um cliente, o reforma e revende a um novo comprador. Além de facilitar um processo de permuta, caso um cliente queira trocar seu imóvel por outro (e receber a diferença, se for o caso). O processo é feito em parceria com imobiliárias e mais de 6 mil corretores parceiros nas regiões em que atua.