Fiat Chrysler e Peugeot anunciam acordo de fusão; empresa terá 21% do mercado brasileiro

Novo grupo terá mais de 400 mil funcionários e vendas anuais de 8,7 milhões de veículos

Os conselhos da montadora francesa PSA, dona da Peugeot, e da Fiat Chrysler (FCA) aprovaram, nesta quarta-feira (18), um acordo de fusão de seus negócios, que criará a quarta maior fabricante de automóveis do mundo, com valor de mercado de cerca de US$ 50 bilhões, informa um comunicado conjunto distribuído pelas duas companhias.

A nova empresa, ainda sem nome, terá metade das ações de cada companhia, com faturamento combinado de 170 bilhões de euros. Juntas, as empresas fabricaram 8,7 milhões de veículos ano passado, mas têm potencial instalado para produzir 14 milhões de unidades, segundo projeções da consultoria LMC Automotive divulgados pela agência Reuters.

A fusão deverá ser completada em aproximadamente 1 ano e meio, a partir deste anúncio, e as propostas estão sujeitas às aprovações de acionistas. A empresa terá mais de 400 mil funcionários. O executivo-chefe da Peugeot, Carlos Tavares, comemorou a fusão e afirmou que a nova empresa será ainda mais competitiva.

O executivo enfatizou que a fusão acontece entre duas empresas saudáveis, lucrativas e que estão fazendo grandes coisas em seus mercados. Para ele, é melhor estarem juntos. Com isso, as fabricantes se beneficiarão pela força de cada uma em diferentes mercados. Enquanto a FCA utilizará da força da PSA na Europa, a PSA buscará oportunidades pela sólida posição da FCA nos Estados Unidos e América Latina.

De acordo com um comunicado conjunto das marcas, a fusão vai ajudar a nova montadora a lidar com os grandes desafios do setor, incluindo a desaceleração global da demanda e a necessidade de desenvolver carros que poluam menos, para atender às regras de emissões de gases.

Ao todo, o grupo será composto pelas marcas Abarth, Fiat, Jeep, Dodge, Lancia, Ram, Chrysler, Alfa Romeo, Maserati, Peugeot, Citroën, DS, Opel e Vauxhall, permitindo atender mercados de massa e carros premium, bem como para caminhões e veículos comerciais leves.