São Luís é a sexta melhor cidade do Nordeste para startups

De acordo com a Associação Brasileira de Startups, Salvador fica em primeiro lugar com mais startups

A startup maranhense Niduu foi eleita uma das 100 empresas mais inovadoras do País

Letícia Höfke

Os livros são portas para o conhecimento. E assim como outros hábitos, o gosto pela leitura precisa ser desenvolvido desde cedo. Visando isso, a startup ImaginaKids criou um dispositivo para auxiliar as crianças ao incentivo de criar novas histórias, unindo, dessa forma, a tecnologia, o aprendizado e o lúdico. 

Surgida em São Luís, a ImaginaKids é uma EdTech – nome dado ao desenvolvimento e uso da tecnologia para potencializar a aprendizagem. Esse segmento é um dos mais fortes da capital maranhense. Com 22 startups ativas, a cidade tem 15% de startups voltadas para educação e 20% focadas em serviço. 

Entre os espaços de trabalho, São Luís tem a Black Swan, o Casarão Tech, o Espaço Rio Anil Shopping e o Code Experts Hub. As grandes empresas que tem programas de incentivo a startups são o Grupo Mateus, a Vale e o Grupo Educacional CEUMA. Contudo, apesar de todo o apoio, a maior parte das startups (84,6%) não tem nenhum faturamento. Somente 7,6% faturam de R$ 500 mil a R$ 1 milhão. O mercado alvo são empresas B2B. 

No time maranhense de startups, há também a Niduu, que, no início deste ano, foi eleita uma das 100 empresas mais inovadoras do País, de acordo com o ranking “100 Startups to Watch”, realizado em parceria pelas revistas  Pequenas Empresas Grandes Negócios e Época Negócios , e pelas consultorias Corp.vc e EloGroup. 

A startup, que utiliza conceitos de gamificação e microaprendizagem para treinamento e desenvolvimento de colaboradores, foi a única empresa maranhaense a figurar no ranking, no qual apenas outras três empresas com sede no Nordeste conseguiram se classificar. 

De acordo com a Associação Brasileira de Startups, a região Nordeste tem 577 startups ativas, sendo a maioria na cidade de Salvador (20,5%). São Luís, em sexto lugar, tem 3,8%. Em relação aos estados, o Maranhão fica em sétimo lugar com 4,3% dessas startups. A Bahia continua em primeiro com 27,2%. 

São vários os segmentos de atuação das startups. A maior parte delas (10,9%) atua com educação. Com saúde e bem estar, são 6,7% e com comunicação e Marketing, 5,1%. Empatados em último lugar, com 1,1%, estão as áreas de Pets, Indústria e Esportes. Em relação ao faturamento, a maioria (66,8%) não tem nenhum e apenas 1,7% delas fatura R$ 500 mil a R$ 1 milhão.