MCTIC abre espaço para contribuições na Política Nacional de Inovação

A ideia é fomentar o estímulo à cultura de inovação e desenvolvimento tecnológico

iniciativa propõe fomentar a nova política pelos próximos de 10 anos (foto: reprodução)

Para aqueles que sempre desejaram “participar” de questões relacionadas à política e inovação, esse é o grande momento. O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) cede espaços para os contribuintes às novas propostas. A ideia é permitir que haja contribuição à proposta da Política Nacional de Inovação.

A iniciativa propõe fomentar a nova política pelo prazo de 10 anos ligados às áreas de novas tecnologias que se voltem à melhoria das atividades econômicas e serviços públicos.

De acordo com o texto publicado, espera-se da nova política “nortear, orquestrar e acelerar os esforços em ciência, tecnologia e empreendedorismo no país de forma a convertê-los em soluções inovadoras para os principais desafios e necessidades da sociedade brasileira e assim contribuir para a melhoria da qualidade de vida de cada brasileiro, para o crescimento da produtividade e da competitividade da nossa economia e para uma relação mais harmônica com o planeta.

Este mesmo texto frisa que as empresas brasileiras inovam muito pouco se comparadas aos padrões internacionais de países avançados – fato que se reflete nas participações muito limitadas nos registros de patentes internacionais. A maior quantidade de inovações realizadas está ligada à importação e adaptação de tecnologia advinda de outros países.

Alguns fatores foram apontados como estagnadores na superação de desafios relacionados à nova política, entre eles estão atuais níveis de inovação “relativamente baixo”, pouco interesse quanto ao assunto no âmbito de universidades na produção de conteúdo e aplicações em empresas.

Incentivo à cultura de inovação, estímulo bases de conhecimento para inovação, estímulo ao desenvolvimento tecnológico e do empreendedorismo são apontados como estratégias para superar esses desafios.

Ampliar a infraestrutura de pesquisa, simplificar o processo de concessão de patentes, incentivar conhecimentos científicos abertos disponibilizados em plataformas digitais, promover a criação e desenvolvimento de startups, valorizar criadores e desenvolvedores brasileiros e fomentar o aumento do investimento privado em pesquisa e desenvolvimento, são algumas ações pensadas para a concretização dessas diretrizes.

As contribuições e propostas podem ser acessadas por até 40 dias no site https://ibrasil.mctic.gov.br/