Acordo entre Sebrae e Embrapii fomenta inovação em startups

O primeiro acordo fechado pela dupla de empresas investidoras foi de R$ 20 milhões

O acordo entre o Sebrae e Embrapii fomenta a inovação em startups, pequenas e médias empresas (foto: reprodução)

Na última terça-feira (5), as startups receberam mais apoio de empresas que acreditam na evolução de projetos de inovação. Desta vez, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) fecharam contrato a fim de incentivar a inovação em startups, pequenas e médias empresas.

Aporte pode chegar a R$ 100 milhões

Mais de 120 projetos de inovação voltados à indústria receberão investimento, o Sebrae, por exemplo, destinou R$ 30 milhões em apoio às empresas. Os recursos também estão partindo de outras empresas junto a Embrapii. O aporte pode chegar a alcançar a casa dos R$ 100 milhões.

Outras 109 startups já foram incentivadas pela parceria, este é o segundo contrato assinado pela dupla de investidores. O primeiro deles foi de R$ 20 milhões e serviu de base de apoio por dois anos para os grupos de startups, micro e pequenas empresas desenvolvedoras de trabalhos por meio da tecnologia. Participaram da iniciativa outras empresas e centros de pesquisa, o primeiro contrato fechado pelo Sebrae e Embrapii totalizou R$ 77 milhões.

O contrato foi assinado na sede de da Conferência Nacional da Indústria (CNI), em Brasília, no decorrer da reunião conjunta da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) com a Frente Parlamentar de Ciência, Tecnologia, Pesquisa e Inovação.

Carlos Melles, presidente do Sebrae declarou que é preciso preparar o país para uma virada econômica. Nos países desenvolvidos, o dinamismo da economia está baseado na inovação. Mas, no Brasil, nosso desempenho tem sido determinador. Dentre 129 países, o Brasil é apenas o 66° mais inovador, de acordo com o Índice Global de Inovação deste ano.

CNI em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial

Outro órgão que, durante a mesma reunião, assinou um acordo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) foi a CNI. Esse acordo se fundamenta no fomento de atividades ligadas à inovação em pequenas, médias e grandes empresas. A ideia por trás do acordo é a realização de projetos que envolvem as áreas de inovação, digitalização de processos produtivos e internacionalização de empresas.

A CNI declarou que o foco da parceria é mobilizar o setor produtivo para soluções inovadoras que aumente a competitividade, a produtividade e a internacionalização de pequenas, médias e grandes indústrias. Foram pré-estabelecidos três eixos de trabalho, são eles: Inovação Empresarial para a Competitividade; Plano Empresarial Estratégico de Digitalização de Empresas e Programa de Adequação de Embalagens para Exportações.

Estímulo de inovação nas empresas

A parceria será importante para estimular a inovação nas empresas. A Mobilização Empresarial pela Inovação tem por objetivo que as empresas tenham como estratégia de desenvolvimento a inovação, com acesso a financiamento, a políticas de investimento, de incentivo e a centros de pesquisas, declarou o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Andrade ressalta que a participação dos empresários é fundamental para dar o exemplo e mostrar o que é feito, discutir os principais programas, sugerir ao governo e ao Congresso ações e projetos que possam melhorar o ambiente de negócios.