Brasileiro usa Inteligência Artificial para ajudar pacientes de áreas afastadas

Por meio do Telemedicina, os especialistas podem fornecer diagnósticos precisos a 1.600 quilômetros

O programa Telemedicina foi criado para ajudar pessoas que moram em zonas afastadas do hospitais (foto: reprodução)

Em benefício aos moradores de zonas rurais ou áreas afastadas dos centros das cidades que, geralmente, tem menos acesso aos hospitais, o empresário brasileiro Rafael Figueroa desenvolveu o Portal Telemedicina, a iniciativa usa inteligência artificial para levar a essas pessoas melhores condições de prestação de atendimento médico.

Telemedicina para mais de 500 clínicas rurais

Rafael é considerado um dos principais mentores globais de IA do programa de inicialização do Google, do qual participou com seu portal. A tecnologia já é usada pela maioria dos países que falam português, além disso, são mais de 500 clínicas rurais e grandes instituições que desfrutam deste modelo de tecnologia.

Diagnósticos precisos a mais de 1.600 quilômetros

De acordo com Rafael, com a nossa tecnologia, uma pessoa que vive em uma zona rural no Brasil, poderá ir à clínica local e fazer um raio-x. Com apenas alguns cliques, os enfermeiros podem enviar as informações pela nuvem para os médicos da capital do estado. Os especialistas, então, podem fornecer diagnósticos precisos a 1.600 quilômetros de distância.

Mais de 30 milhões de exames e registros de saúde

Os computadores são tão inteligentes quanto às informações inseridas em seu sistema. Nossa plataforma usa mais de 30 milhões de exames e registros de saúde, que o computador pode usar para aprender e fazer referência. Isso faz com que possamos obter descobertas médicas com precisão igual ou superior ao nível humano, ressaltou Rafael ao ser questionado sobre o que a IA entende quando procura uma imagem de exame.