Dublin é declarada a capital da culinária vegana em 2019

Na Irlanda, o veganismo registrou um aumento considerável

Uma pesquisa feita pela Hayes e Jarvis, empresa de marketing de mercado, revela que Dublin é a capital com o maior número de restaurantes veganos em 2019. Com base em dados do site TripAdvisor, a cidade tem a maior presença de estabelecimentos culinários com esse perfil das 50 cidades mais visitadas do mundo.

Segundo o levantamento, em Dublin 21,2% dos restaurantes oferecem produtos à base de vegetais como opções no cardápio ou são completamente veganos. Em segundo lugar está Phuket, na Tailândia, com 20,1%, seguida por Amsterdã, na Holanda, com 19,8%.

Na Irlanda, o veganismo registrou um aumento considerável. A venda de leite de origem vegetal teve uma alta significativa no início do ano após a campanha inglesa que estimula as pessoas a praticarem uma alimentação sem origem animal por 31 dias no mês de janeiro, a chamada “Veganuary”.

O fundador da startup irlandesa FIID, Shane Ryan, afirma que não está surpreso com os dados da pesquisa. Segundo ele, Dublin é uma cidade jovem, com 120 mil estudantes universitários e conta com milhares de jovens de todo o mundo atraídos por empregos bem remunerados. Para ele, os dados mostram que a tendência por alimentos à base de vegetais é amplamente impulsionada pelos millennials e pela geração Z.

Em abril, uma pesquisa divulgada pelo jornal Irish Independent revelou que 37% dos irlandeses considerariam uma transição para o veganismo por questões ambientais e éticas. Sete em cada dez pessoas disseram que poderiam incorporar opções veganas em sua dieta semanal. A pesquisa realizada com centenas de pessoas na Irlanda foi uma iniciativa da empresa Vitabiotics.

Outra pesquisa realizada no ano passado, mas pela empresa Deliveroo Ireland, apontou que a entrega de alimentos vegetarianos a domicílio cresceu 119% no país em comparação com 2017. Já uma pesquisa de mercado da Kantar Worldpanel, aponta que um a cada cinco consumidores compra produtos vegetarianos na Irlanda; e desde 2016 o país tem registrado crescimento de vendas de 50% de alimentos vegetarianos.