Empresa lança cerveja em garrafa de papel, para não causar ressaca ao meio ambiente

Carlsberg anunciou novos protótipos de garrafas biodegradáveis, numa tentativa de zerar emissões de suas cervejarias

Já pensou em tomar cerveja em uma garrafa de papel? A Carlsberg, produtora dinamarquesa, revelou na última semana dois protótipos de garrafas biodegradáveis, a Green Fibre Bottle, feitas de fibras de madeira e com uma camada interna impermeável.

Em um dos protótipos, a proteção é uma fina camada de plástico feita de garrafas PET recicladas. O outro usa o polímero biodegradável PEF (polietileno 2,5-furandicarboxilato). A iniciativa faz parte do projeto da Carlsberg em zerar as emissões de carbono em suas cervejarias até 2030. Na cadeia inteira de produção, o objetivo é diminuir emissões em 30%.

Myriam Shingleton, vice-presidente de desenvolvimento da Carlsberg, conta que a empresa está feliz com os avanços com a Green Fibre Bottle. Para ela, ter os dois protótipos são um passo importante para realizar a ambição final de trazer essa novidade ao mercado.

A busca pela embalagem de papel começou em 2015, quando a Carlsberg se juntou com outras empresas locais para desenvolver a tecnologia (que existe há muito tempo nas Kombis de caldo de cana, com discutível sucesso). Neste ano, a Paboco foi formada para criar garrafas sustentáveis. É uma joint-venture entre a empresa de embalagens BillerudKorsnäs e a fabricante de garrafas Ampla.

Junto com a Green Fibre Bottle, a Carlsberg anunciou uma parceria com Coca-Cola, L’Oreal, Absolut e a Paboco para avançar na pesquisa e desenvolvimento da garrafa de papel. Shingleton diz que parcerias como essa, que são unidas pelo desejo de criar inovações sustentáveis, são a melhor maneira de trazer mudanças reais.