EUA vetam empresas chinesas de negociar com empresas americanas

Entre estas empresas estão a Dahua, Megvii e iFlytek

Compondo a “lista negra” dos EUA, estão a Dahua, Megvii e iFlytek (foto: reprodução)

Na última segunda-feira (7), algumas empresas chinesas tiveram veto negativo para entrarem nos EUA. Estas empresas são conglomeradas voltados ao setor de tecnologia e diversos órgãos públicos, além de agências que são envolvidas diretamente com o governo de Pequim.

Sem autorização para negociar com empresas americanas, entram na lista das empresas banidas pelos Estados Unidos, a Hikvision, Dahua, Megvii Technology, SenseTime, iFlytek e Yitu Technologies, todas estas, em caso de tentar burlar o sistema podem pagar os custos de proteção entre a China e os Estados Unidos.

Ao ser questionado o motivo pelo qual se deu esse novo conjunto de proibições, o governo dos EUA relatou que, algumas dessas empresas ou organizações, são responsáveis, em parte, por “violações dos direitos humanos”, “detenções arbitrárias em massa” ou de uso de meios tecnológicos buscando participarem de vigilância de uigures e outras comunidades muçulmanas.

Após trabalhos realizados em conjunto com Nvidia ou Qualcomm, a Hikvision, que ainda faz parte da chamada “lista negra”, é listada na bolsa de valores em US$ 42 bilhões e forte incentivadora de projetos de tecnologia.