Aplicativo sueco usa bot para tratar depressão

Flow usa chatbot terapeuta para guiar usuário enquanto aguarda tratamento especializado

depressão tem se tornado uma das doenças mais prevalentes no mundo, e no Brasil não é diferente: em 2017, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estimava que depressão atingia mais de 11 milhões de brasileiros. Não é surpreendente, então, que empresas de tecnologia buscassem soluções criativas para ajudar a combater essa epidemia.

Flow Neuroscience, startup sueca de neurociência, desenvolveu um aplicativo (também chamado Flow) com chatbot para ajudar pessoas com depressão. O bot conversa, responde perguntas e dá dicas sobre diversas maneiras de limitar os efeitos e sintomas da doença. Entre eles, dicas de alimentação, sono, exercício físico e meditação. O aplicativo também monitora o humor do usuário para oferecer um tratamento personalizado para cada um.

Daniel Mansson, psicólogo clínico, CEO e co-fundador da Flow, explicou em nota que a oportunidade de terapia ‘a qualquer hora’ que a Flow oferece garante que pessoas consigam a ajuda necessária o mais rápido possível. Segundo ele, a Flow pode conceder anonimidade sem o medo de ser julgado por outros, já que muitos ficam ansiosos ao falar sobre depressão com outro ser humano.

O aplicativo, no entanto, é apenas o ponto de partida para as inovações no tratamento da depressão. O carro-chefe da Flow é um headset que manda sinais elétricos para estimular o cérebro e diminuir os sintomas. De acordo com artigos publicados no New England Journal of Medicine e no British Journal of Psychiatry, o método de estímulo como o utilizado pelo headset tem resultados similares ao uso de antidepressivos, mas com menos efeitos colaterais.

O site oficial da Flow alerta, no entanto, que nem o headset nem o aplicativo substituem um médico. A empresa recomenda sempre ter contato recorrente com um médico caso sofra de depressão. O headset e aplicativo, por enquanto, estão aprovados para uso e venda na União Europeia e Reino Unido.