Micros e Pequenas Empresas geram mais de 10 mil empregos formais no Maranhão

Maranhão registrou saldo de 1.495 admissões líquidas no mês de agosto de 2019

O Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (IMESC) divulgou a Nota do Mercado de Trabalho referente ao mês de agosto de 2019, a partir de dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (CAGED).

De acordo com os dados, o Maranhão registrou saldo de 1.495 admissões líquidas no mês de agosto de 2019, com as Micro e Pequenas Empresas (MPE) responsáveis pela geração de 10,7 mil empregos formais no Maranhão no período de janeiro a agosto– uma variação de 54% em relação ao mesmo período de 2018.

Considerando o mês de agosto de 2019, as microempresas foram as responsáveis pela geração de 1,4 mil vagas, distribuídos principalmente nos setores da Serviços (+505) e no Comércio (+444). As grandes empresas também alcançaram destaque no resultado mensal com a geração de 470 postos de trabalho no período.

Saldo Positivo

Ainda de acordo com o CAGED, o saldo positivo do Estado no mês de agosto decorreu, principalmente, das performances do setor da Construção civil (+970), em especial no segmento de Construção de Edifícios (+358) e Construção de Rodovias e Ferrovias (+272), além do setor de Serviços (+492), com ênfase nas atividades de Educação Superior – Graduação (+129) e Locação de Mão-de-Obra Temporária (+103).

No que tange ao saldo acumulado de janeiro a agosto de 2019, o Maranhão apresentou resultado líquido positivo de 7,6 mil admissões, 2º melhor do Nordeste. Esta também é a classificação do estado quando considerada a variação do estoque de empregos (+1,6%).

Dionatan Carvalho, presidente do IMESC, pontua que o setor de Serviços capitaneou as contratações líquidas no Maranhão em 2019, com a geração de 7 mil vagas de empregos com carteira.

Distribuição de Empregos

Quanto à distribuição dos empregos gerados no território maranhense, 104 municípios apresentaram geração de vagas no acumulado de 2019. Na capital São Luís (+5,3 mil), destacou-se o setor de Serviços, com geração de 5,6 mil empregos. Os municípios de Campestre do Maranhão (+1,2 mil) e Aldeias Altas (+908) obtiveram bom desempenho em virtude dos setores da Agropecuária (+938) e Indústria de Transformação (+908), respectivamente.

Brasil

O país registrou saldo de 121,3 mil empregos formais no mês de agosto de 2019, decorrente de 1.382.407 admissões e de 1.261.020 desligamentos. O resultado configura o quinto mês consecutivo de crescimento do emprego formal brasileiro e o melhor resultado para os meses de agosto desde 2013.

Na abertura setorial, os dados apontam saldo positivo principalmente nos Serviços (+61,7mil), Comércio (+23,6 mil), Indústria de Transformação (+19,5 mil) e Construção Civil (+17,3 mil).

No âmbito regional, todas as regiões apresentaram geração de empregos formais em agosto de 2019, com destaque para o Sudeste (+51,4 mil) e Nordeste (+34,7 mil). No Nordeste, houve criação de vagas em 8 dos 9 estados, com destaque para Pernambuco (+10,4 mil) e Paraíba (+6,8 mil).

Nota do Mercado de Trabalho

A Nota do Mercado de Trabalho é um dos produtos do Boletim de Conjuntura Econômica, elaborado pelo IMESC. Essa publicação faz uma discussão sobre o comportamento do emprego formal maranhense.

Tem como referência a Região Nordeste e o Brasil, a partir do CAGED, divulgado mensalmente pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. O CAGED trata do fluxo entre admitidos e desligados e constitui-se em um importante termômetro do desempenho dos setores de atividade econômica.