Aplicativo “avisa” aos pais quais conteúdos seus filhos estão consumindo

Mesmo com idioma apenas em português, o aplicativo está disponível em todo o mundo.

Luíza Mendonça, responsável pela criação do AppGuardian (foto: reprodução)

A onda das redes sociais e o uso da internet não se restringe à idade, portanto, muitas crianças e adolescentes usam e abusam do uso de smartphone para navegarem em diversos conteúdos. Observando esse uso contínuo de seus filhos com os aparelhos, Luiza Mendonça decidiu criar o aplicativo que permitia a ela administrar o tempo que suas filhas passavam navegando pela internet.

Com dois filhos totalmente conectados ao mundo virtual, Luiza desenvolveu o AppGuardian, que surgiu após seu filha Bia, de 9 anos, ganhar seu primeiro smartphone. Como a maioria das mães, ela buscou se precaver de incidentes que ocorrem todos os dias por meio da internet e controlar o tempo gasto na internet.

Antes de criar o AppGuardian, a mãe já buscava tutorias de outros aplicativos para bloquear o acesso de seus filhos a determinados sites, mas ela relata que sempre eram orientação bastante complicadas de serem realizadas. O aplicativo foi lançado com a missão de organizar a vida digital de pais e filhos e trazer uma conexão real entre eles, relata ela.

Orientações para uso

Instantaneamente, assim que o app identificar perigo, ocorrerá a primeira chamada de “proibição extrema”, que fará com o celular seja imediatamente bloqueado. Na segunda chamada os pais terão total acesso ao histórico de navegação do celular que fica salvo no aplicativo, possibilitando identificar que tipo de conteúdo está sendo consumido pelos pequenos. O AppGuardian também disponibiliza a localização das crianças.

O aplicativo não restringe o acesso da criança e do adolescente às informações, lá, eles também conseguem acompanhar o que está sendo usado e bloqueado por seus responsáveis. Luíza diz que seu objetivo não foi “colocar” um espião de guarda, mas sim, monitorar, acompanhar e prevenir.

A criadora do aplicativo orienta que antes dos pais baixarem e instalarem o app nos aparelhos de seus filhos, é interessante conversar com eles e explicar, esclarecendo sempre que não é para vigiá-los por falta de confiança, mas para evitar qualquer problema. Luiza é educadora parental, alerta que o diálogo é sempre bem-vindo.

Mesmo com idioma apenas em português, o aplicativo está disponível em todo o mundo.