Qual é a cidade mais inteligente e conectada do Brasil?

Pela primeira vez, o ranking Connected Smart Cities elege uma cidade não capital como maior referência em desenvolvimento

Campinas, maior cidade do interior de São Paulo, é considerada a mais inteligente e conectada do Brasil em 2019, segundo a quinta edição do Ranking Connected Smart Cities, divulgado nesta terça-feira (17).

O ranking é elaborado pela consultoria Urban Systems em parceria com a empresa de organização de eventos Sator. Esta é a primeira vez que esse estudo elege uma cidade não capital como referência em desenvolvimento. Em 2015, a liderança ficou com o Rio de Janeiro, seguido nos dois anos seguintes por São Paulo e, em 2018, por Curitiba.

Na edição deste ano, Campinas se destacou nas áreas de economia, tecnologia e inovação (1º lugar), empreendedorismo (2º), governança (3º) e mobilidade (4º). Willian Rigon, diretor de marketing da Urban Systems, afirma que Campinas fomenta o desenvolvimento tecnológico e é um hub de educação, que permite desenvolver capital humano e também pensar soluções e estratégias para a cidade.

Segundo destaca o levantamento, Campinas é referência em polo universitário, com a Unicamp e a Pontifícia Universidade Católica, polo tecnológico, polo de inovação e região industrial com forte apelo logístico e de distribuição.

Na cidade, quase um quarto de todos os empregos formais são ocupados por profissionais com ensino superior, 5,2% dos empregos formais estão no setor de Tecnologia da Informação e 94,5% dos empregos na cidade estão no setor privado.

Já em mobilidade, o aeroporto de Viracopos foi destaque não apenas pelo seu movimento de passageiros, mas também pelo potencial logístico, diz o relatório. Para compor o indicador final, o estudo leva em consideração 70 indicadores, que têm relação com mobilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo, governança e energia. 

Na edição deste ano, o ranking incorporou seis indicadores novos baseados na Norma Técnica ISO 37, que são o uso de veículos de baixa emissão de poluentes, dois critérios relativos à força de trabalho — percentual da força ocupada em setores de tecnologia e comunicação e percentual da força ocupada nos setores de educação e pesquisa —, numero de computadores e laptops em escolas públicas, percentual de resíduos plásticos recuperados na cidade e percentual da população que vive em regiões de baixa e media densidade.

Há uma pontuação de peso 1 para 69 variáveis e peso 0,5 para a escolaridade do prefeito. Dessa forma, a pontuação máxima deste ano é de 69,5. Campinas, a cidade primeira colocada, registrou 38,977 pontos.

Em seguida, aparecem São Paulo, Curitiba, Brasília, São Caetano do Sul, Santos, Florianópolis e Vitória. Das 100 cidades mais inteligentes e conectadas deste ano, 67 estão no sudeste — 47 só no estado de São Paulo.

Para o ranking final, é feito um mapeamento em todas as cidades brasileiras com mais de 50 mil habitantes (666 municípios). Há avaliação de cidades entre 50 mil a 100 mil habitantes, de 100 a 500 mil e acima de 500 mil.

Paula Faria, idealizadora do Connected Smart Cities e Mobility, afirma que a proposta do ranking não é criar competição entre as cidades, mas possibilitar que as boas iniciativas sejam compartilhadas.

Confira o ranking completo:

1º Campinas – SP 38,977
2º São Paulo – SP 38,505
3º Curitiba – PR 38,016
4º Brasília – DF 37,979
5º São Caetano do Sul – SP 37,816
6º Santos – SP 37,458
7º Florianópolis – SC 37,258
8º Vitória – ES 36,814
9º Blumenau – SC 35,731
10º Jundiaí – SP 35,417
11º Campo Grande – MS 35,219
12º Niterói – RJ 35,172
13º Belo Horizonte – MG 34,941
14º Rio de Janeiro – RJ 34,741
15º Joinville – SC 34,699
16º Itajaí – SC 34,604
17º Balneário Camboriú – SC 34,591
18º São Bernardo do Campo – SP 38,977
19º Palmas – TO 38,505
20º Porto Alegre – RS 38,016
21º Piracicaba – SP 34,076
22º Valinhos – SP 34,073
23º Recife – PE 34,062
24º Jaguariúna – SP 34,048
25º Ribeirão Preto – SP 33,950
26º Maringá – PR 33,840
27º Araras – SP 33,671
28º Uberaba – MG 33,517
29º Sorocaba – SP 33,480
30º São José dos Campos – SP 33,448
31º Presidente Prudente – SP 33,371
32º Juiz de Fora – MG 33,253
33º Londrina – PR 33,146
34º São José do Rio Preto – SP 32,981
35º Petrópolis – RJ 32,903
36º Santo André – SP 32,895
37º Pato Branco – PR 32,703
38º Indaiatuba – SP 32,647
39º Salvador – BA 32,539
40º Goiânia – GO 32,531
41º Jaraguá do Sul – SC 32,290
42º Macaé – RJ 32,259
43º Cuiabá – MT 32,075
44º São Sebastião – SP 32,042
45º Guarulhos – SP 32,020
46º Paulínia – SP 31,936
47º Lins – SP 31,917
48º Resende – RJ 31,910
49º Botucatu – SP 31,887
50º Itu – SP 31,831
51º Bragança Paulista – SP 31,780
52º Santana de Parnaíba – SP 31,771
53º Foz do Iguaçu – PR 31,708
54º Dourados – MS 31,703
55º Praia Grande – SP 31,699
56º Americana – SP 31,647
57º Uberlândia – MG 31,640
58º Marília – SP 31,628
59º Barueri – SP 31,618
60º Limeira – SP 31,613
61º Itatiba – SP 31,573
62º Linhares – ES 31,518
63º Cascavel – PR 31,493
64º Nova Lima – MG 31,445
65º Vinhedo – SP 31,437
66º Betim – MG 31,416
67º Pouso Alegre – MG 31,280
68º Jaboticabal – SP 31,248
69º Natal – RN 31,192
70º Caxias do Sul – RS 31,162
71º Fortaleza – CE 31,156
72º Atibaia – SP 31,144
73º Rio Claro – SP 31,137
74º Itumbiara – GO 31,131
75º Chapecó – SC 31,126
76º Sertãozinho – SP 31,115
77º Ipatinga – MG 31,044
78º Amparo – SP 31,044
79º Salto – SP 31,041
80º São Carlos – SP 30,963
81º Toledo – PR 30,928
82º Hortolândia – SP 30,924
83º Colatina – ES 30,881
84º Osasco – SP 30,854
85º Jataí – GO 30,832
86º Viçosa – MG 30,757
87º Araraquara – SP 30,695
88º Umuarama – PR 30,681
89º Cachoeiro de Itapemirim – ES 30,681
90º Montes Claros – MG 30,678
91º Lençóis Paulista – SP 30,641
92º Ouro Preto – MG 30,625
93º Teresina – PI 30,608
94º Erechim – RS 30,483
95º Registro – SP 30,418
96º Tubarão – SC 30,409
97º Araçatuba – SP 30,309
98º Lorena – SP 30,280
99º Rondonópolis – MT 30,136
100º Porto Ferreira – SP 30,131