Empresa promete enviar pessoas ao espaço a cada 32 horas até 2023

Vendendo passagens a US$ 250 mil, a Virgin Galactic planeja transportar mais de mil turistas por ano

Assim como a SpaceX de Elon Musk e a Blue Origin de Jeff Bezos, a empresa de voos espaciais do bilionário britânico Richard Branson, a Virgin Galatic, está na corrida para transportar turistas ao espaço.

De acordo com um documento publicado pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, Branson quer sair na frente: a bordo do VSS Unity, o empresário planeja levar grupos de turistas ao espaço a cada 32 horas até 2023.

Por US$ 250 mil, o passageiro poderá viver a experiência de viajar sob gravidade zero em um voo de aproximadamente 90 minutos. A aeronave tem capacidade para transportar até seis pessoas a uma altitude de cerca de 100 quilômetros.

De acordo com o documento, a Virgin Galatic quer realizar 16 voos ao longo de 2020. Em 2023, serão 270 voos com uma frota de cinco naves espaciais — o que equivale a cerca de um voo a cada 32 horas. Mais de 600 pessoas já estão na lista de interessados, incluindo o ator americano Ashton Kutcher.

Estima-se que dentro de quatro anos a empresa tenha a capacidade para transportar 1.565 pessoas por ano, o que deve aumentar a receita da companhia de US$ 31 milhões em 2020 para US$ 570 milhões em 2023.

O programa espacial privado da Virgin Galatic está em desenvolvimento há 15 anos e já enfrentou alguns contratempos e tragédias, como o acidente envolvendo um veículo espacial da companhia, em um voo teste que causou a morte do copiloto e ferimentos graves no piloto da espaçonave, em 2014.


Anúncio: 407 anos São Luís