Aos 55 anos, Jack Ma, fundador do Alibaba, anuncia aposentadoria

Quem assumirá a empresa, a partir de agora, será o executivo-chefe, Daniel Zhang

Jack Ma, fundador do Alibaba (foto: reprodução)

Em comemoração aos 20 anos de sucesso, em uma cerimônia de sucessão, nesta terça-feira (20), foi anunciada oficialmente a aposentadoria do fundador da empresa de tecnologia de maior valor do mercado: a Alibaba. Jack Ma se aposentará como presidente-executivo do conselho de administração, quem passa a assumir as responsabilidades da empresa é o executivo-chefe, Daniel Zhang.

Ações em alta

Com as ações em alta, atingindo 9,4% nos doze meses posteriores ao anúncio da aposentadoria de Ma, não causou espanto ou preocupação para o grupo de acionistas do Alibaba. Ligada diretamente ao entretenimento e ao meio de venda e compra dos chineses, a empresa é de significativa importância para o país.

Um carismático fundador

Seu fundador, um homem carismático de 55 anos, iniciou o projeto em um pequeno apartamento (compartilhado), e o transformou em um dos maiores negócios do mundo. De um micro compartimento, nasceu a companhia que, atualmente, vale US$ 462 bilhões, fazendo de Jack Ma, o homem mais rico da China.

Idealismo e mentalidade otimista

Mesmo tendo se aposentado do cargo que exerce atualmente, Jack não se afastará totalmente da empresa, estando sempre acompanhando seus passos e sua evolução, já que continua sendo membro vitalício. O Alibaba é uma combinação de idealismo e mentalidade otimista de seu fundador. O local também carrega a abordagem pragmática em resultados do seu sucessor.

De acordo com Alan Hellawell, sócio da Alpha JWC Venturas, de Jacarta, analista da empresa, Jack deixou uma marca muito profunda em casa centímetro quadrado do Alibaba.

Exigências e metas

Daniel Zhang recebe a empresa acompanhada de algumas exigências, logo após sua saída, Ma estabelecia uma previsão para até 2036 de “economia”, que fossem criados 100 milhões de empregos e prestados atendimentos a 2 bilhões de clientes no mundo. Outra meta a ser alcançada é o suporte a 10 milhões de empresas lucrativas, em comparação com os 654 milhões de clientes atuais.

Em 2018, a empresa alcançou o valor acima de US$ 853 bilhões dos artigos vendidos em suas plataformas. Espera-se para este ano, superar a meta, conquistando, em um prazo mais curto, US$ 1 trilhão de mercadorias.

Estados Unidos x China

Com o constante enfrentamento entre Estados Unidos e China, uma grande meta almejada pela empresa asiática foi derrubada pelos EUA. Planejava-se a criação de 1 milhão de empregos no país americano, cedendo às empresas americanas, canais para vender produtos na China.

Para cumprir a meta de conquistar os 2 bilhões de clientes, o Alibaba ainda precisa superar alguns obstáculos. Após comprar a Lazada, plataforma de comércio eletrônico, a empresa readaptou o local diversas vezes. Outro ponto crucial é o desejo de estimular o desenvolvimento da globalização em regiões mais próximas, como: Sudeste Asiático e na Índia, que não teve muito progresso, afastando um pouco mais a possibilidade de atingir a tão esperada meta.

Em debate

Ma, mesmo com planos de se aposentar, já havia traçado planos e metas futuras para o Alibaba, em um debate com o fundador da Tesla, em agosto, ele apresentou tendências de porte otimista e bem mais sedimentadas que o seu concorrente.

Precisamos de heróis como você (que quer ir a Marte), mas precisamos de heróis de como nós (que vão consertar a Terra). Aprendi por que muitas empresas quebram. Porque só querem o próximo trimestre. Querem receitas, querem lucros. Esquecem dos sonhos. É importante que o Alibaba sonhe, finaliza ele.


Anúncio: 407 anos São Luís