H&M suspende compra de couro brasileiro por causa das queimadas na Amazônia

Empresas com Vans, e Kipling também deixaram de comprar couro do país

Por preocupações ligadas a incêndios, a H&M deixou de comprar couro do Brasil (foto: reprodução)

Nesta quinta-feira (5), a H&M, segunda varejista de moda mundial, anunciou que, temporariamente, deixou de comprar couro do país, motivo desse fim de parceria: preocupações ligadas a incêndios ocorridos na Amazônia nas últimas semanas.

Danos à economia brasileira

Os problemas ambientais relacionados à Amazônia passaram a causar prejuízos à economia brasileira e deixar dúvidas aos parceiros que exportam e importam diversos produtos.

Por meio de comunicado via e-mail, a H&M afirmou que devido aos graves incêndios na parte brasileira da Floresta Amazônica e às conexões com a produção de gado, decidiram suspender temporariamente o couro do Brasil

Sistemas de garantias críveis

O documento relata que a proibição permanecerá ativa até que existam sistemas de garantias críveis para verificar se o couro não contribuiu para danos ambientais na Amazônia. O couro que é importado pela H&M, vem em sua maioria da Europa, de resto, é uma parte bem pequena do Brasil.

Vans, Timberland, Kipling e The North Face

Outras empresas de renome mundial anunciaram o fim de compras de couro do Brasil, entre elas; a Timberland, Vans, Kipling e The North Face. Outra reconhecida empresa que também deixará de importar o material é a empresa americana VF Corporation que controla 20 marcas de vestuários e calçados.

De acordo com a empresa, essa medida irá valer até que tenha confiança e segurança de que os materiais usados em seus produtos não estejam contribuindo para a degradação ambiental no país.


Anúncio: 407 anos São Luís