Nordeste bate novo recorde em geração de energia eólica

A região alcançou 8.650 MW, atendendo 89% de sua demanda

Os parques eólicos do Maranhão apresenta ótimo desempenho em geração de energia renovável (foto: reprodução)

De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), na última segunda-feira (26), o Nordeste bateu um novo recorde em geração de energia eólica, com a região alcançando 8.650 MW, atendendo 89% de sua demanda.

Em parceria com a empresa Ômega Energia, a iniciativa teve à sua frente o governador do estado, Flávio Dino, por meios de tratativas do secretário de Estado de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Aráujo.

Os primeiros parques eólicos do Maranhão foram inaugurados em 2017 e, até o momento, apresentam altos fatores e ótimo desempenho em gerar energia renovável.

Complexo Delta Maranhão

O Complexo Delta Maranhão, que fica localizado entre os municípios de Barreirinhas e Paulino Neves também recebe auxílio do Governo do Maranhão. A capacidade de geração eólica é de 15,1 GW de área nacional, já incluindo o Maranhão, os aerogeradores operam em 12 unidades da federação, somados a 608 parques eólicos.

Os locais dispõem de todos os aspectos naturais favoráveis à energia eólica, contando com ventos unidirecionais, constantes e estáveis, segundo informações da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeolica).

Com capacidade para abastecer 2,5 milhões de residências e empregando cerca de 4 mil pessoas direta e indiretamente, o Complexo Delta Maranhão recebeu R$ 1,5 bilhão em investimento inicial.

Serão adicionadas ao Delta 97,2 MW a capacidade instalada, que hoje, em sua terceira fase de expansão, recebeu mais R$ 500 milhões projetados em investimentos, com 36 aerogeradores e mais 97,2 MW de potência.

Intersolar South América 2019

O Intersolar South América 2019, um evento que reúne o maior número de profissionais do campo de valor fotovoltaica e termossolar, contará com a presença da Seinc. O evento acontece na Expo Center Norte de São Paulo.

Sobre o acontecimento, Simplício Araújo declarou que, assim como nesse consolidado evento, que é a Intersolar, a Seinc está atenta a todas as oportunidades que podem fomentar a cadeia produtiva solar do Maranhão, onde investidores podem, claramente, encontrar condições propícias para gerar energia eólica, pela localização, ventos e ambiente favorável aos negócios.