Em 2024, área de TI estima déficit de 290 mil profissionais

Somente no estado de São Paulo existem cerca de 845 mil empregos em Tecnologia da Informação, representando 42,9%

70 mil vagas vem sendo projetadas entre os anos de 2019 a 2024 (foto: reprodução)

Segundo dados de um relatório divulgado pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), o campo de profissionais da área de Tecnologia da Informação (TI) receberá mais incentivo para preenchimentos de vagas nos setores por todo o Brasil.

O propósito é fomentar o desejo em alunos desta área e expandir as oportunidades e possibilidades de cursos em graduação para aumentar o número de obra qualificada. Este setor é uma área que executa a computação para meio de produzir conteúdo, algoritmos, armazenar e transmitir novas informações.

Alguns pontos importantes que ainda privam a evolução e crescimento da área de TI foram citadas no estudo Achados e Recomendações para Formação Educacional e Empregabilidade em TIC. Foram apontados alguns exemplos para o aumento de oportunidades de emprego.

Benefícios que estimulam

Com base no relatório, 26% dos alunos desta área abandonam o curso devido limitação ás bolsas de estudos e financiamentos, já que, a maioria desses estudantes frequentam faculdades privadas e não tem acesso a programas como FIES e PROUNI.

Uma das maneiras de estimular alunos a cursarem a área é o oferecimento de bolsas estudantis, com isso, há a diminuição dos números de evasão. Cai para mais da metade o número de desistentes do curso quando recebem um desses benefícios. Os beneficiários do Prouni ficam em 9,8% e aqueles que são inscritos no Fies são de 9,7%.

Investimento Lento

Somente no estado de São Paulo existem cerca de 845 mil empregos em Tecnologia da Informação, representando 42,9%. É esperado que 46 mil pessoas se formem ao ano no Ensino Superior com capacidade para preencher vagas estipuladas em 70 mil que vem sendo projetadas entre os anos de 2019 a 2024. O mercado busca novos talentos a todo momento, mas os candidatos ainda não poucos para a quantidade de vagas e perfis desejados.

Com 32% de formados, o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas tem o maior número de alunos graduados. Logo após vem Sistemas de Informação com 20% de graduados, em seguida aparece o curso de Ciência da Computação com 19%, Gestão de tecnologia vem logo em seguida, com 11%. Redes e internet 8% e Engenharia da computação 5%. Os 5% restantes compõem outras graduações como Banco de Dados e Engenharia de Telecomunicações.

O que o mercado procura

Computação na Nuvem: conceituação e Aplicação em Virtualização de Máquina, AWS, Azure, outras.

Inteligência Artificial: habilidades com redes Neurais, Aprendizado de Máquina, Computação Cognitiva e Algoritmos Avançados.

Desenvolvedores mobile: programação em Linguagem Java e conhecimentos de Agile, Design Thinking, UX e Full Stack.

Data Analytics: conhecimentos em Gestão da Informação, Big Data e Ciência de Dados.

Segurança Cibernética: entendimento do nível básico ao avançado das ferramentas empregadas na área.

Espera-se que, no futuro, sejam até 229 mil alunos formados no Ensino Superior, Médio, Profissionalizante e Regular até 2024 em alguma área de TIC. 26,6 mil estudantes conseguiram arrumar emprego na área após se formarem no ano de 2017. 77 mil alunos saíram da faculdade com diploma em mãos.