Blockchain lança bolsa de criptomoedas

A TIP foi desenvolvida por veteranos da Bolsa de Valores de Nova York, Google, Goldman Sachs, e outros.

Será possível negociações 'fiat-to-crypto em dólar, euro e libra esterlina (foto: reprodução)

Em anuncio oficial, uma das maiores empresas de carteira digital do mundo, a Blockchain, lançou na terça-feira (30), uma bolsa de criptomoedas “batizada” de The PIT. O objetivo desta criação é alcançar o público de investidores institucionais e varejos, executando negociações em microssegundos.

Velocidade mais rápida

Após longos meses de pesquisa, a Blockchain informou que o “Mercury“, seu mecanismo principal, é capaz de oferecer velocidade mais rápida que qualquer outra troca de criptografia. A Pit foi criada com o propósito de realizar operações em alta velocidade, sendo desenvolvida por veteranos da Bolsa de Valores de Nova York, Google, Goldman Sachs, TD Ameritrade, Interactive Brokers, UBS e Revolu

Os desenvolvedores pensaram na criptomoeda para suprir os acontecimentos do mercado que, por vezes, havendo pico de volatidade, os mecanismos acabam sobrecarregando e ocasionam o desligamento de “matching“, dificultando que as pessoas consigam continuar negociando, declarou a diretora de produtos de negociação da Blockain, Nicole Sherrod, por meio de entrevista concedido via telefone.

Aumento de 160%

Junto ao aumento de quase 106% até o primeiro semestre de 2019, liderado pelo Bitcon, subiram, também, as críticas que o centro de atenções vem recebendo. As reclamações surgiram em decorrência do aumento de preços e pela alta volatidade neste ano.

Com a última negociação ficando no valor de US$ 9.528, o tempo de fartura do bitcon parece que foi interrompido. Depois de longos 18 meses em alta aproximada ao valor de US$ 14 mil, com essa diferença, o valor entrou em declínio no fim de junho.

Disponível para mais de 200 países

A princípio, serão 26 pares de negociação e uma rede global ampliando a possibilidade de depósitos e retiradas. A PIT estará disponível para usuários em mais de 200 países. Também será possível negociações ‘fiat-to-crypto em dólar, euro e libra esterlina.

O atual mercado de troca de criptografia está desatualizado, quebrado e distorcido contra os usuários. Ficamos cansados ​​de esperar por um novo concorrente para entregar o desempenho que os comerciantes de hoje exigem, disse o co-fundador e CEO da Blockchain, Peter Smith.