Facebook anuncia criação de criptomoeda Libra atraindo a atenção do setor financeiro

A criptomeda pretende auxiliar negócios e movimentações para bancos centrais

A criptomoeda será movimentada através do sistema blockchain (foto: reprodução)

A fim de melhorar de qualificar o funcionamento e transações financeiras, foi criada uma ferramenta que possibilitará modificações tecnológicas, beneficiando diretamente o sistema de bancos centrais. Através da inovação, serão aplicados manejos permitindo empresas trabalharem juntas em prol dessa melhoria.

O BIS (Banco de Compensações Internacionais) se uniu em aliança com o Facebook, que está entrando neste setor, e, juntou-se a bancos que trabalham com tecnologia para atuarem juntos nesse novo projeto.

Operação por Blockchain

A novidade que chega chamando atenção do setor econômico é a criação da Libra, criptomoeda do Facebook. Até o momento não há definição exata do impacto e propósito para essa criação de moeda, no entanto, espera-se que ela seja um grande adversário do sistema monetário atual.

O aguardado é um avanço em transações financiais com o uso da criptomoeda, o sistema tecnológico dos bancos pode aguardar significativa melhora. Quem também participa desse grupo são: Facebook, Whatsapp e Messenger, usando uma plataforma blockchain para operar.

Investimento milionário

Estão atreladas às modificações, empresas como: Uber, Visa, Mastercard e Mercado Livre, com propósito de regularizar a Libra, cada parceira deste consórcio investiu US$ 10 milhões.

Diferentemente do modelo de negócio usado por Zuckerberg, a Libra atenderá, também, interesses empresariais, conflitando com a criação do bitcoin.

A proposta da Libra é privilegiar um grupo único, o que se torna o oposto do objetivo da criação de outras criptomoedas, que tinha um propósito de ideal mais amplo e desconcentrado, declarou Rosine Kadamani, fundadora da Blockchain Academy.

Rosine afirmou que não tem dúvidas do que a Libra pode fazer, pois impactará o universo tecnológico já que se trata de um projeto que já nasceu com uma rede de milhares de usuários.

A criptomoeda será de total responsabilidade de uma nova subsidiária do grupo, a Calibra, que será administrada pela Libra Association, empresa sem fins lucrativos, localizada em Genebra, na Suíça.

Convergindo à libra

De acordo com Rosine, o cenário brasileiro está preparado para a Libra. Enquanto sociedade excluída pelo sistema financeiro, tradicional, será bastante interessante. Ela acredita que a criptomoeda se tornará um sucesso em países emergentes


Anúncio: 407 anos São Luís