Crédito voltou a crescer no mês de maio

Após interrupção em abril, crédito mostra um cenário positivo

Nesta quarta-feira, o chefe do Departamento de Estatística do Banco Central Fernando Rocha anunciou uma mudança nas estatísticas econômicas no mês de maio com o aumento do saldo de crédito e estabilidade ou redução das taxas de juros. Em relação a abril, o estoque do crédito teve o crescimento de 0,6%. 

Rocha também chamou a atenção para o desempenho o crescimento de 1,4% crédito livre em maio e 11,9% no acumulado de 12 meses, uma aceleração em relação ao acumulado de 10,7% de dezembro. Com alta de 0,9% no que diz respeito a abril e de 9,9% em 12 anos, o crédito para pessoas físicas também teve destaque. 

O crédito direcionado teve uma queda de 0,5% em referência ao mês retrasado e de 1,4% no período de 1 ano. De acordo com Rocha, está havendo uma migração de parte desse crédito direcionado para o mercado de capitais. 

BNDES 

A carteira de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para empresas terminou o mês de maio com uma queda de 1%, em R$ 405,539 bilhões. No acumulado do ano, a redução é de 4,6% no acumulado de 2019 e de 8% em 12 meses. 

Em relação às concessões do BNDES para empresas, foi registrada uma alta de 61,2% no mês passado, para R$ 2,899 bilhões. A queda foi de 1,3% neste ano. Em 12 meses, as concessões aumentam 3,5%. A inadimplência das empresas junto ao banco ficou estável em 2,2%, no que concerne a abril. Em maio de 2018, a taxa era de 0,9%.