Apple anuncia fim do iTunes

Funcionalidades serão divididas em três aplicativos: Podcasts, TV e Music

Foto: Reprodução

A Apple confirmou nesta segunda-feira (03) um boato que já rondava o mercado. A gigante de tecnologia irá pôr fim à plataforma iTunes. Nos últimos anos, a loja virtual foi ofuscada por serviços de streaming como o Spotify e o próprio Apple Music. Em sua conferência anual de desenvolvedores, a empresa anunciou que as funcionalidades do iTunes serão divididas em três aplicativos: PodcastsTV e Music.

A escolha por separar os serviços, diz o New York Times, está alinhada com o objetivo da empresa em transformar tanto o Apple Music como o Apple TV em negócios independentes e robustos. Os dois serviços já têm aplicativos exclusivos para iPhone, que agora estarão disponíveis para Mac.

As especulações sobre o fim do iTunes aumentaram nas últimas semanas. Os críticos alertavam que a plataforma – na qual os consumidores podiam comprar música e vídeos – parecia negligenciada e desatualizada há algum tempo, lembra o The Verge.

Segundo Craig Federighi, vice-presidente sênior de software da Apple, os consumidores amam o iTunes e tudo o que ele pode fazer, mas foi ouvido diversas vezes que o iTunes poderia fazer ainda mais.

O iTunes se tornou um marco na indústria musical com a invenção do iPod, em 2001. Com a loja virtual, a Apple deu aos consumidores uma forma fácil e legal de baixar música. Na época do lançamento, as faixas custavam, em média US$ 0,99 – hoje são vendidas a US$ 1,29. Atualmente, o iTunes tem mais de 50 milhões de músicas, além de programas de TV e filmes disponíveis para compra.

Outros anúncios

Durante o Worldwide Developers Conference (WWDC), o evento em que a Apple mostra suas maiores novidades, foram feitos outros anúncios importantes. Um deles foi o lançamento de novas ferramentas que permitem ao usuário restringir a forma que seus dispositivos coletam dados pessoais.

Na nova versão de seu sistema operacional, o iOS 13, os usuários poderão compartilhar sua localização com um aplicativo apenas uma vez. A cada nova tentativa de acessar a localização, o app terá de pedir permissão novamente ao usuário.

Ainda na tentativa de ampliar a privacidade dos usuários, a empresa acenou com a possibilidade de fazer login em aplicativos e sites de terceiros com o Apple ID, fornecendo apenas nome e e-mail. O usuário também pode escolher a opção de ocultar seu e-mail, gerando um endereço aleatório que encaminha as mensagens.

Outra novidade é que o Apple Watch terá uma loja de aplicativos separada. Com o novo sistema operacional, será possível ter os aplicativos apenas no relógio – antes, era necessário tê-los no iPhone também.

A Apple anunciou ainda um sistema operacional específico para iPad, o iPadOS. Trata-se de uma tentativa de convencer os usuários a trocar o notebook pelo tablet. A nova versão do sistema operacional se parece muito mais com o de um computador comum, facilitando a troca de aplicativos e o uso de dois apps ao mesmo tempo.


Anúncio: 407 anos São Luís