Foto: Reprodução

A Magazine Luiza fechou acordo para comprar a Netshoes, uma das maiores varejistas de artigos esportivos no Brasil, por US$ 62 milhões. A empresa vinha sofrendo prejuízos há anos, e suas ações despencaram 85% desde a estreia na bolsa de valores de Nova York. A B2W, que controla Submarino e Americanas.com, estava interessada na aquisição, assim como o Mercado Livre.

A aquisição ainda requer o aval dos acionistas e do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Se aprovada, a loja se tornará uma subsidiária da Magazine Luiza. A Netshoes tem sede registrada nas Ilhas Cayman, por isso o valor do negócio foi anunciado em dólares. O pagamento de US$ 2 por ação será feito em dinheiro; as ações fecharam a última segunda-feira (29) em US$ 2,65.

Os prejuízos da Netshoes não paravam de se acumular. Foram R$ 152 milhões em perdas registradas em 2016, mais R$ 170 milhões em 2017 e R$ 332 milhões no ano passado. A empresa também estava bastante endividada, terminando 2018 com dívida total de R$ 228,9 milhões.

Marcio Kumruian, presidente da Netshoes, disse em mensagem a acionistas que “resultados financeiros e o aumento da pressão de fluxo de caixa levou a uma reavaliação de perspectivas e resultou na decisão de acordo de fusão”. Segundo o Valor, a B2W e o Mercado Livre também queriam comprar a empresa, mas a Magazine Luiza tinha o direito de exclusividade nas negociações.

Netshoes tem 4,6% do mercado de artigos esportivos

A Netshoes abriu capital há dois anos, mas suas ações recuaram 85,3% desde o IPO. Analistas avaliam que ela errou em se expandir para outros países da América Latina. Ela deixou de atuar no México em agosto do ano passado, e se desfez de suas operações na Argentina este mês.

A história da Netshoes começou em 2000, com a inauguração de uma loja física em São Paulo; a operação acabou se tornando exclusivamente online. Ela detém 4,6% do mercado brasileiro de artigos esportivos, considerando varejo físico e online; a Centauro é a maior do setor com 5,4%. A empresa também é dona da Zattini, que vende roupas, calçados e acessórios.

No final de 2017 e início de 2018, foram vazadas informações sobre 2 milhões de clientes da Netshoes, incluindo nome completo, e-mail, CPF, data de nascimento e produtos comprados. O MPDFT (Ministério Público do Distrito Federal e Territórios) disse na época que este foi “um dos maiores incidentes de segurança registrados no Brasil”. A empresa fez acordo para evitar uma ação civil pública, pagando R$ 500 mil em indenização por danos morais.